Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
302,00 289,00 280,00
GO MT RJ
276,00 282,00 284,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2560,00
Garrote 18m 2790,00
Boi Magro 30m 3770,00
Bezerra 12m 2070,00
Novilha 18m 2530,00
Vaca Boiadeira 2820,00

Atualizado em: 19/5/2022 11:32

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Neloristas cobram posicionamento claro do Bradesco

 
 
 
Publicado em 10/01/2022

A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (Nelore Brasil) divulgou em suas redes sociais uma carta aberta ao banco Bradesco cobrando "posicionamento claro" do banco sobre a pecuária brasileira e o consumo de carne. Pecuaristas promoveram protestos contra a instituição financeira depois da publicação de um vídeo associado à marca, em que era defendida uma redução do consumo de carne como iniciativa mais sustentável, associando a pecuária às emissões de gases de efeito estufa.


Produtores protestam em frente à agência do Bradesco em Uberaba (MG)

"Os neloristas, responsáveis por 80% do rebanho brasileiro e mais de 90% da produção de carne bovina, exigem que o Bradesco explique: por que tomou uma medida gratuita e equivocada contra o setor produtivo da carne bovina?; como autorizou a divulgação de um conteúdo que acusa a pecuária de ser apenas emissora de gás metano, esquecendo a captura de CO2 pela produção vegetal dos pastos, o que muitas vezes gera créditos de carbono?", questionam os pecuaristas, na carta.

No documento, os produtores resaltam que as cartas e o vídeo divulgado pelo Bradesco depois da repercussão negativa do material inicial ressaltam apenas a posição do banco como financiador do agronegócio. Mas não apresenta nenhuma "informação que objetiva restabelecer a imagem da pecuária e da carne brasileira, que foi profundamente maculada com o vídeo".

A Associação pede, na carta, que o banco invista em ações de comunicação que considera "realmente esclarecedoras" sobre a produção de carne do Brasil. Desta forma, afirma a representação dos pecuaristas, estará sendo mostrada a "verdade à sociedade urbana".

Não é a primeira manifestação da cadeia produtiva da carne contra o banco. Na segunda-feira (3/1), em diversos municipios de regiões importantes para a pecuária brasileira, foram feitos protestos em frente a agências do Bradesco, com a realização de churrascos e distribuição de carne, no que foi chamado de "segunda com carne". Os protestos foram convocados na semana anterior por grupos de WhatsApp e ocorreram em frente a agências do banco no Mato Grosso, São Paulo, Pará, Tocantins e Minas Gerais.

Entenda o caso

Em dezembro, um vídeo publicado em redes sociais do Bradesco defendia como iniciativa mais sustentável a redução do consuimo de carne e a adesão ao movimento Segunda Sem carne, em que, por um dia da semana, deixa de ser consumida a proteína animal. No vídeo, a pecuária é associada às emissões de gases de efeito estufa.

"A criação de gado contribui para a emissão dos gases de efeito estufa. Então, que tal a gente reduzir o nosso consumo de carne e escolher um prato vegetariano na segunda-feira?", diz uma das "apresentadoras" do vídeo.

Diante da repercussão negativa, o Bradesco divulgou uma "carta aberta" na sexta-feira (24/12). No documento, reafirmava seu apoio ao agronegócio brasileiro e sua "crença indelével" no setor como vetor de crescimento do país. No comunicado, diz que a posição manifestada por "influenciadores digitais" em relação ao consumo de carne bovina é "descabida", mas reconhece que, "lamentavelmente", acabou associada à empresa.

"Importante dizer que tal posição não representa a visão desta casa em relação ao consumo da carne bovina. Pelo contrário. O Bradesco acredita e promove direta e indiretamente a pecuária brasileira e por conseguinte o consumo de carne bovina", diz a carta. O documento reitera ainda que o conteúdo foi retirado de qualquer ambiete público e foram adotadas "ações administrativas internas severas".

Não é a primeira polêmica envolvendo uma grande empresa com o agronegócio, em função de postagens nas redes sociais. Em março deste ano, pecuaristas pediram um boicote à cerveja Heineken por conta de uma postagem que associava uma vida "mais verde" à redução do consumo de carne. A postagem, motivada pela celebração do "Dia Mundial sem Carne", levou representantes da pecuária a divulgarem uma iniciativa nas redes sociais, que chamaram de "Churrasco sem Heineken".

Após a polêmica, representantes da cervejaria e de pecuaristas chegaram a se reunir e conversar sobre a postagem. A indústria de cerveja também chegou a se manifestar, dizendo não compactuar com a posição manifestada na postagem. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/05/2022] - Senadores dos EUA: frigoríficos formam cartel
[20/05/2022] - Exportações do Agro batem recorde histórico
[20/05/2022] - Frigoríficos querem boi barato e exportação cara
[20/05/2022] - Arroba: frigoríficos continuam derrubando preços
[20/05/2022] - População ocupada no Agro: maior número desde 2016
[20/05/2022] - Falso policial aplicava golpe em produtores rurais
[20/05/2022] - Argentina aumenta novamente impostos sobre o Agro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/05/2022] - Satélites da SpaceX ajudarão a monitorar Amazônia
[19/05/2022] - Bloqueio chinês gera prejuízos incalculáveis em GO
[19/05/2022] - China compra quase 50% das exportações do Brasil
[19/05/2022] - Arroba: frigoríficos testam valores menores
[19/05/2022] - Arroba: onda de frio segue influenciando cotações
[19/05/2022] - Onda de frio continua sem grandes danos ao Agro
[19/05/2022] - Inflação do aluguel desaba na prévia de maio
[18/05/2022] - Frigoríficos aproveitam o frio para derrubar o boi
[18/05/2022] - Onda de frio: até quando?
[18/05/2022] - Arroba: preço dos machos cede em São Paulo
[18/05/2022] - Analista prevê mais quedas para o boi gordo
[18/05/2022] - Custo em alta derruba confiança do pecuarista
[17/05/2022] - China está usando os EUA para pressionar o Brasil?
[17/05/2022] - Ações de frigoríficos caem com ação da China
[17/05/2022] - Como estão as exportações de carne em maio?
[17/05/2022] - Arroba: preços no mesmo lugar
[17/05/2022] - Preço do boi estável em Rondônia
[17/05/2022] - Lucro da Frigol dispara com exportações
[17/05/2022] - Embrapa: leite subiu menos que custo de produção
[17/05/2022] - Funcionários de fazenda presos por furto de gado
[17/05/2022] - MP muda Tabela de Frete Rodoviário
[17/05/2022] - PIB cresce 1,5% puxado pela exportação do Agro
[17/05/2022] - Inflação medida pelo IPC-Fipe perde velocidade
[16/05/2022] - MAPA corrige para cima o PIB estimado do Agro
[16/05/2022] - Arroba: pecuarista não aceita queda do boi
[16/05/2022] - Preço de produtos do Agro recuam em SP
[16/05/2022] - China habilita 13 frigoríficos dos EUA
[16/05/2022] - Milho: frente fria reverte cenário de queda
[13/05/2022] - Exportações: Brasil vendeu mais para 101 países
[13/05/2022] - Volume exportado aos EUA já bate 25% da China
[13/05/2022] - Arroba: frigoríficos seguram as compras
[13/05/2022] - Leite: custo de produção reduz ritmo de alta
[13/05/2022] - Produtores de milho protestam contra tarifa zero
[13/05/2022] - Tarifa zero não preocupa produtores de frango
[12/05/2022] - Arroba: frigoríficos aumentam a pressão de baixa
[12/05/2022] - Diferença entre machos e fêmeas bate recorde
[12/05/2022] - JBS não vê impacto de lockdowns na China
[12/05/2022] - IBGE: Abates cresceram, produção de leite caiu
[12/05/2022] - JBS tem o melhor trimestre da história
[12/05/2022] - Minerva registra resultado recorde no trimestre
[12/05/2022] - Brasil continua recebendo fertilizantes russos
[12/05/2022] - Leite: governo aumenta imposto sobre mussarela
[12/05/2022] - Governo sanciona complemento do Plano Safra
[11/05/2022] - GOVERNO ZERA TARIFA DE IMPORTAÇÃO DE CARNE
[11/05/2022] - CNA pede fim do imposto zero para mussarela
[11/05/2022] - Frigoríficos precisam depender menos da China
[11/05/2022] - Arroba: boi recua em SP
[11/05/2022] - Frigoríficos trazem boi de fora para São Paulo
[11/05/2022] - Preço do boi tem comportamento fora do normal
[11/05/2022] - Senado aprova PIS/COFINS zero para milho

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br