Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
330,00 312,00 328,00
GO MT RJ
315,00 309,00 309,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2920,00
Boi Magro 30m 3610,00
Bezerra 12m 2300,00
Novilha 18m 2670,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 19/1/2022 10:45

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Arbitragens mostram a briga por trás da JBS

 
 
 
Publicado em 25/11/2021

Duas arbitragens envolvendo a JBS e a holding J&F estão opondo argumentos e estratégias de acionistas minoritários, administração e controladores, numa batalha jurídica que envolve mais de R$ 12 bilhões, naturalmente grandes bancas societárias e que pode estabelecer alguns precedentes para o mercado de capitais brasileiro.

A história começou há cinco anos, mas a temperatura veio a ponto de fervura nas últimas semanas, com acusações de supostos conflitos por todo lado - nas escolhas de árbitros, na atuação de advogados, identidade de investidores, legitimidade de demandas, pedido de indenização. Ambas tratam de ressarcimento à JBS pelos controladores, por atos confessos de corrupção. As arbitragens são sigilosas, mas têm pontos discutidos em manifestações à CVM – o Pipeline pediu vista do processo à autarquia.

A primeira arbitragem, aberta ainda em 2017, é movida pelo fundo SPS e pelo investidor Aurélio Valporto, que se utilizam de um recurso previsto na lei das S/A para que minoritários se posicionem em companhias com controlador definido. A segunda, aberta no início deste ano, tem no polo ativo a própria JBS, num procedimento alheio à vontade da administração da companhia, mas definido em assembleia de acionistas e provocado pelo BNDES.

Processos envolvendo o mesmo tema tendem a ser unificados, normalmente no mais antigo ou naquele de maior escopo, por orientação dos tribunais de arbitragem – com uma decisão adiante, o momento é crucial para ambas.

A JBS entrou com pedido de extinção do primeiro processo, alegando que a decisão da assembleia é soberana e que, como é a companhia a parte na discussão, deve ela tomar as rédeas. A administração da companhia é quem havia recomendado aos acionistas, na assembleia solicitada no ano passado pelo BNDES, que votassem contra uma nova arbitragem, já que havia uma em andamento tratando do tema.

O entendimento do grupo da primeira arbitragem é que ela não só é mais antiga, como mais ampla em sua demanda financeira e menos lesiva à companhia em caso de derrota. Esse processo abrange mais de R$ 12 bilhões por incluir a sobrevalorização feita na aquisição do frigorífico Bertin para desvio de capital, ponto abordado na delação dos Batista – fora isso, o processo giraria em torno de uma discussão de R$ 2 bilhões a R$ 3 bilhões. Por ser movido pelos acionistas, em caso de derrota são eles quem pagam os custos do processo, e não a JBS.

Além disso, na arbitragem aberta pela companhia, a J&F já fez um pedido contraposto para que seja ressarcida em parte dos R$ 10,3 bilhões que pagou nos acordos de delação – grana que saiu dos controladores. O pedido levanta polêmica inclusive na administração. Em um comunicado recente, a JBS destacou que, no acordo de leniência entre J&F e MPF “previu-se, de modo expresso, que a responsabilidade pelo pagamento da penalidade era exclusiva da acionista controladora”.

A indenização, aliás, provocou uma certa trapalhada da companhia em seus comunicados públicos. O jornal O Globo, publicou que a J&F estava pedindo indenização à JBS, no que seria um novo processo arbitral. A companhia negou a informação num dia e, cinco dias depois, teve que retificar o jogo semântico – a holding entrou com o pedido num processo já em andamento. Com informações do Valor. 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[19/01/2022] - Arroba: exportações podem bater recorde histórico
[19/01/2022] - Agro domina exportações em portos do Paraná
[19/01/2022] - Marfrig: ômicron não afeta abates
[19/01/2022] - Pecuaristas recusam acordo com frigorífico fechado
[19/01/2022] - Leite: ano pode ser complicado para o produtor
[19/01/2022] - Milho volta a rondar os R$ 100 a saca
[19/01/2022] - IGP-M volta a acelerar

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/01/2022] - Exportações de carne estão acima de janeiro 2021
[18/01/2022] - Arroba: cenário de estabilidade
[18/01/2022] - Escalas estão menores em Mato Grosso
[18/01/2022] - Briga por ICMS sobre o milho vai à Justiça
[18/01/2022] - Pecuaristas protestam contra a Globo Rural
[17/01/2022] - Arroba: nem pra cima, nem pra baixo
[17/01/2022] - Frigorífico fecha e deixa dívida milionária
[17/01/2022] - Milho volta a ser negociado acima de R$ 100 a saca
[17/01/2022] - JBS anuncia novo presidente da JBS Brasil
[17/01/2022] - Globo Rural ataca a Pecuária brasileira
[17/01/2022] - Estados decidem elevar ICMS sobre combustível
[14/01/2022] - PIB do Agro cresceu 10% em 2021
[14/01/2022] - Arroba: pecuarista vai segurar o boi
[14/01/2022] - Arroba: preços não acham espaço para cair
[14/01/2022] - Milho: produção deve crescer em 2022
[14/01/2022] - Varejo vendeu mais puxado por supermercados
[14/01/2022] - Exportações do Agro cresceram 9,5% em SP
[14/01/2022] - Câmara aprova incentivo a reservas em fazendas
[13/01/2022] - Arroba: frigoríficos seguem tentando pressão
[13/01/2022] - CEPEA: ano inicia com arroba em alta
[13/01/2022] - Chineses vão pagar mais caro pela carne suína
[13/01/2022] - Tereza Cristina visita áreas atingidas pela seca
[13/01/2022] - Safra tem perdas severas também no Paraná
[12/01/2022] - Consultoria prevê mercado bom para exportações
[12/01/2022] - Exportações de carne de MT bateram US$ 1,7 bi
[12/01/2022] - Arroba: frigoríficos e pecuaristas olham o mercado
[12/01/2022] - Onda de calor preocupa produtores do Sul do Brasil
[12/01/2022] - Chuvas começam a perder força no Brasil Central
[12/01/2022] - Polícia prende quadrilhas que roubam defensivos
[11/01/2022] - Arroba: frigoríficos tentam baixa, sem sucesso
[11/01/2022] - Exportações: China já movimenta o mercado
[11/01/2022] - Frigoríficos dos EUA reduzem produção por COVID
[11/01/2022] - Canadá registra caso de vaca louca
[11/01/2022] - Milho: como ficará o mercado em 2022?
[11/01/2022] - Peste Suína Africana se espalha pela Europa
[11/01/2022] - Peste suína também chega à Tailândia
[11/01/2022] - Inflação bateu recorde, puxada por combustíveis
[10/01/2022] - Neloristas cobram posicionamento claro do Bradesco
[10/01/2022] - Spoleto ataca e depois pede desculpas a produtores
[10/01/2022] - Exportações: faturamento cresceu apesar da China
[10/01/2022] - Arroba: boi exportação tem ágio de até R$ 15
[10/01/2022] - Milho: produtores seguram as vendas
[10/01/2022] - Agro responde por 77% das exportações de Goiás
[10/01/2022] - Crédito rural: contratações dispararam 30% em 2021
[17/12/2021] - Boi pode subir com força nos próximos dias
[17/12/2021] - MAPA quer que a China habilite novos frigoríficos
[17/12/2021] - Arroba: quem vai ceder primeiro?
[17/12/2021] - ABPA: cenário está muito bom para carne brasileira
[17/12/2021] - Frigoríficos pedem novas normas contra o Covid
[17/12/2021] - Leite: inflação está alta para o produtor

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br