Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
295,00 285,00 291,00
GO MT RJ
280,00 277,00 295,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2500,00
Garrote 18m 2850,00
Boi Magro 30m 3510,00
Bezerra 12m 2190,00
Novilha 18m 2620,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 28/9/2021 11:37

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Ministro não acredita em greve dos caminhoneiros

 
 
 
Publicado em 22/07/2021

A possibilidade de uma nova greve dos caminhoneiros foi levantada pelo Cntrc (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas). A entidade tentou fazer uma paralisação em fevereiro, sem sucesso, mas convocou um novo ato para 2ª feira (26.jul). O movimento não conta com o apoio de toda a categoria, mas tem recebido adesão de grupos que inicialmente eram contrários ao movimento.

O diretor-presidente do Cntrc, Plínio Dias, disse que os caminhoneiros já entregaram suas reivindicações ao governo, mas não tiveram resposta e “não aguentam mais” os altos preços dos combustíveis. Segundo ele, a última reunião foi com o presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna, em junho, poucos dias antes de a estatal anunciar um novo aumento do diesel.

Já com o ministro Tarcísio de Freitas, Dias disse que não fala desde setembro de 2020. “O governo não nos chamou para conversar e não reconhece as pessoas que estão na liderança dos caminhoneiros. O ministro Tarcísio ignora pessoas que fazem parte da categoria e conversa com apenas um grupo dos caminhoneiros”, afirmou o diretor-presidente do Cntrc.

O caminhoneiro diz, no entanto, que está aberto ao diálogo com o governo. “O ministro deveria sentar e conversar com a gente. Ninguém quer guerra com ele. A pauta não é politicagem, é o transporte. Se tivéssemos uma boa conversa, não iríamos parar o país, mas o ministro não quer falar, não reconhece a entidade”, disse.

Em nota, o Ministério da Infraestrutura disse que “o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) não é entidade de classe representativa para falar em nome do setor do transporte rodoviário de cargas autônomo e que qualquer declaração feita em relação à categoria corresponde apenas à posição isolada de seus dirigentes”.

A pasta chefiada pelo ministro Tarcísio de Freitas afirmou que é importante “entender o caráter difuso e fragmentado de representatividade do setor, seja regionalmente, seja pelo tipo de carga transportada”. “Nenhuma associação isolada pode reivindicar para si falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo e incorrer neste tipo de conclusão compromete qualquer divulgação fidedigna dos fatos referentes à categoria”, afirmou.
Divisão

A greve convocada pelo Cntrc tem apoio da Antb (Associação Nacional de Transporte no Brasil), de caminhoneiros autônomos e de regiões como a Baixada Santista e Goiás. O Movimento GBN (Galera da Boleia da Normatização Pró-Caminhoneiro), que era da base do governo de Jair Bolsonaro e não apoiou a greve em fevereiro, disse que também vai aderir, para pedir a constitucionalidade do piso mínimo do frete.

O movimento, no entanto, ainda enfrenta resistência. A Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), por exemplo, é contra. A Cnta (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos), uma das entidades que mantém contato com o ministro Tarcísio de Freitas, também minimizou o movimento.

“A prerrogativa e legalidade de se realizar uma paralisação é um direito do caminhoneiro e formalizada através de assembleia nos sindicatos. Até o presente momento não temos conhecimento de tal iniciativa por parte de sindicatos ligados ao sistema da nossa Confederação”, afirmou a Cnta, em nota. Com informações do Poder360.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[28/09/2021] - China recusa reunião com o MAPA sobre o embargo
[28/09/2021] - Arroba: semana começou devagar
[28/09/2021] - Arroba: frigoríficos menores estão pagando mais
[28/09/2021] - Marfrig anuncia fechamento definitivo de unidade
[28/09/2021] - Marfrig e BRF virarão uma só empresa?
[28/09/2021] - Milho interrompe queda em SP
[28/09/2021] - China pode bloquear exportação de fertilizantes
[28/09/2021] - Confiança da indústria caiu em setembro
[28/09/2021] - Prazo para entrega do ITR termina dia 30/09

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[27/09/2021] - Frigoríficos tentam forçar baixa, sem sucesso
[27/09/2021] - Arroba: em SP, estabilidade
[27/09/2021] - Arroba: preços travados mesmo sem a China
[27/09/2021] - CEPEA: compradores de milho recuaram
[27/09/2021] - Milho: preços recuaram na semana passada
[24/09/2021] - Chineses pode estar usando embargo para pechinchar
[24/09/2021] - Arroba: poucas negociações no mercado
[24/09/2021] - CADE aprova compra de ações da BRF pela Marfrig
[24/09/2021] - Expansão da JBS causa preocupação na Austrália
[24/09/2021] - Leite: alta de custos não dá trégua
[24/09/2021] - Governo de SP isenta gado PO de ICMS
[24/09/2021] - Reino Unido quer acordo de importação com o Brasil
[24/09/2021] - Tereza Cristina está com Covid-19
[24/09/2021] - Governo reabre prazo de parcelamento para Funrural
[24/09/2021] - Aftosa: dez estados deixarão de vacinar em 2023
[23/09/2021] - Frigoríficos vão exportar carne para outros países
[23/09/2021] - Embargo chinês continua sem justificativa técnica
[23/09/2021] - Arroba: mercado lento, mas estável
[23/09/2021] - CEPEA: indicador do boi caiu 4,5%
[23/09/2021] - Milho: como estão os preços no mercado futuro?
[23/09/2021] - Bolsonaro zera PIS/COFINS sobre o milho
[23/09/2021] - Quando volta a chover no Centro-Oeste?
[22/09/2021] - Arroba: frigoríficos travam abates
[22/09/2021] - Arroba: boi segue com preços estáveis em SP
[22/09/2021] - Milho: impasse continua no mercado
[22/09/2021] - Leite sobe mas custos ainda pressionam produtor
[22/09/2021] - Brasil pode expandir pecuária sem desmatar
[21/09/2021] - Exportações do Agro batem US$ 10 bi em agosto
[21/09/2021] - Como realmente estão as exportações de carne?
[21/09/2021] - Arroba: mercado devagar, mas cotações estão firmes
[21/09/2021] - Em Mato Grosso, pecuaristas aguardam desfecho
[21/09/2021] - Como estão as negociações de boi em Goiás?
[20/09/2021] - Reino Unido confirma vaca louca e não sofre sanção
[20/09/2021] - Arroba: boi já parou de cair
[20/09/2021] - Arroba: situação complicada para o pecuarista
[20/09/2021] - Mercado espera definição da China, talvez hoje
[20/09/2021] - Milho: mercado travado
[20/09/2021] - Polícia recupera 336 bois furtados em SP
[17/09/2021] - O que os frigoríficos pretendem fazer agora?
[17/09/2021] - Rússia restringe compras de MG e MT
[17/09/2021] - Arroba: frigoríficos derrubam as cotações em SP
[17/09/2021] - Carne estocada pode ir para o mercado interno
[17/09/2021] - Empregos: Agro já recuperou o nível pré-pandemia
[17/09/2021] - Agro será o setor mais beneficiado com o 5G
[16/09/2021] - Arábia Saudita retira embargo ao Brasil
[16/09/2021] - CEPEA: embargo chinês deve ser revertido logo
[16/09/2021] - Boi caiu, mas preço da carne continua o mesmo
[16/09/2021] - Arroba: incerteza ainda trava negociações
[16/09/2021] - Pedido de vistas interrompe julgamento no STF
[16/09/2021] - MST abraça capitalismo e capta dinheiro no mercado

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br