Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
295,00 285,00 291,00
GO MT RJ
280,00 277,00 295,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2500,00
Garrote 18m 2850,00
Boi Magro 30m 3510,00
Bezerra 12m 2190,00
Novilha 18m 2620,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 28/9/2021 11:37

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MT anuncia projeto que pode prejudicar a Ferrogrão

 
 
 
Publicado em 21/07/2021

O governo do Mato Grosso anunciou na última segunda-feira (19) chamada pública em busca de investidores para dois ramais ferroviários no estado, em um movimento que joga pressão sobre a Ferrogrão, um dos principais projetos de infraestrutura do governo Jair Bolsonaro.

Oponente da ferrovia federal, a Rumo Logística já se apresentou como interessada ao projeto mato-grossense, que atende as mesmas regiões de seu projeto Malha Norte, ligando seu terminal de Rondonópolis, no sul do estado, a Cuiabá e Lucas do Rio Verde.

O projeto do Mato Grosso tem investimentos estimados em R$ 12 bilhões na construção de 730 quilômetros de trilhos. O objetivo é iniciar as operações do primeiro ramal, para Cuiabá, em 2025. O segundo, a Lucas do Rio Verde, começaria a operar em 2028.

A decisão do governo Mauro Mendes (DEM) dificulta o esforço do Ministério da Infraestrutura para viabilizar a Ferrogrão, ferrovia de quase mil quilômetros para ligar Sorriso (MT) a portos no Pará. O projeto do governo federal prevê aportes do Tesouro caso a Malha Norte fique pronta antes de 2045.

Para a cobertura de riscos do empreendedor, incluindo o início antecipado da ferrovia concorrente, o Ministério de Infraestrutura separou R$ 2,2 bilhões pagos pela Vale para renovar concessões.

Em entrevista após o lançamento do projeto, o governador do Mato Grosso disse que a concorrência entre os projetos ferroviários é benéfica ao país e que os ramais estaduais não atenderão apenas a produção agrícola do estado.

"Daqui poderão sair milhões de litros de etanol, milhões de quilos de proteína para outras regiões do país. Já a Ferrogrão é uma ferrovia de exportação", afirmou. "Dizer que uma tem que sair primeiro para depois viabilizar a outra é um argumento que não para de pé."

A construção da Ferrogrão é foco de um embate entre a Rumo e o governo Jair Bolsonaro. Nos bastidores, a empresa reclama que seu projeto vem sendo atrasado para viabilizar a saída pelo norte. Agora, com apoio do governo do Mato Grosso, ela larga na frente.

Em evento nesta segunda, o governador Mendes defendeu que o modelo proposto garante a concorrência pela construção dos ramais, mas o projeto apresentado dá larga vantagem à Rumo, que já opera a malha que liga o Porto de Santos a Rondonópolis.

O projeto será feito pelo modelo de autorização, no qual o empreendedor assume todos os riscos — diferente de uma concessão, que costuma garantir taxa de retorno mínima. Ao propor a autorização, o Mato Grosso se antecipa a legislação federal sobre o assunto, que está em debate no Congresso.

O governador Mendes afirmou ter certeza da legalidade da proposta, que seguiria lei de 2011 sobre trechos ferroviários estaduais. "Temos toda a segurança jurídica sobre o lançamento dessa alternativa, não temos a menor dúvida."

"Essa vai ser a ferrovia da indústria", disse o governador. "O modal ferroviário é muito importante para a saída dos grãos, mas também conecta a indústria de Mato Grosso com os grandes centros consumidores. Exportar é bom, mas a conexão com a indústria nacional é pelo Sul-Sudeste."

No evento desta segunda, a Fiemt (Federação das Indústrias do Mato Grosso) estimou que os novos ramais atraiam até R$ 30 bilhões em investimentos para o estado. O governo espera a geração de 235 mil empregos durante as obras.

Durante cerca de duas horas, parlamentares e representantes empresariais defenderam o projeto. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o senador Jayme Campos (DEM) criticou a demora do governo em liberar a expansão da Malha Norte e criticou pressões do governo federal contra as autorizações.

"Apoio o governo Bolsonaro, desde que não atrapalhe os interesses do Mato Grosso", afirmou. "Eu já disse ao ministro Tarcísio [Gomes de Freitas, da Infraestrutura]: sai da minha linha de tiro."

Além da conexão com a Malha Paulista e a Ferrogrão, um terceiro projeto disputa a produção de grãos do Mato Grosso: a Fico (Ferrovia de Integração do Centro-Oeste) será construído pela Vale, como contrapartida à renovação das concessões ferroviárias da mineradora.

Em nota divulgada nesta segunda, o ministério diz que a concorrência pela logística no Centro-Oeste "evita a concentração de mercado na mão de um único player, estimulando a concorrência entre três saídas ferroviárias para a produção de grãos e a redução de custos para o produtor."

No texto, afirma ainda que, como qualquer outro modelo, a construção de ferrovias via autorização será apoiado pelo Ministério da Infraestrutura, que tem buscado mudar o marco legal por meio de projeto de lei em tramitação no Senado.

O governo federal fala em licitar a Ferrogrão ainda em 2021, mas depende de aval do STF (Supremo Tribunal Federal), que suspendeu a alteração de limites da Floresta Nacional do Jamanxim (PA) para a passagem dos trilhos.

O projeto enfrenta ainda resistência do Ministério Público Federal, de povos indígenas e de ambientalistas. Em agosto, uma delegação internacional de ativistas e políticos de esquerda desembarca no Brasil para pressionar contra a ferrovia.

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas aposta tanto no projeto que decidiu licitar a concessão da BR-163, hoje a principal rota de grãos para o Norte do país, com prazo de apenas dez anos. Depois disso, justificou, a ferrovia substituirá os caminhões.

O leilão, no início de julho, teve apenas um concorrente, o Consórcio Via Brasil, que arrematou o contrato propondo deságio de 8,09% na tarifa de pedágio. Ao fim da concessão, o governo reassumirá a gestão da rodovia, alegando que o fluxo de veículos leves não justificaria uma nova concessão. Com informações do Diário de Cuiabá.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[28/09/2021] - China recusa reunião com o MAPA sobre o embargo
[28/09/2021] - Arroba: semana começou devagar
[28/09/2021] - Arroba: frigoríficos menores estão pagando mais
[28/09/2021] - Marfrig anuncia fechamento definitivo de unidade
[28/09/2021] - Marfrig e BRF virarão uma só empresa?
[28/09/2021] - Milho interrompe queda em SP
[28/09/2021] - China pode bloquear exportação de fertilizantes
[28/09/2021] - Confiança da indústria caiu em setembro
[28/09/2021] - Prazo para entrega do ITR termina dia 30/09

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[27/09/2021] - Frigoríficos tentam forçar baixa, sem sucesso
[27/09/2021] - Arroba: em SP, estabilidade
[27/09/2021] - Arroba: preços travados mesmo sem a China
[27/09/2021] - CEPEA: compradores de milho recuaram
[27/09/2021] - Milho: preços recuaram na semana passada
[24/09/2021] - Chineses pode estar usando embargo para pechinchar
[24/09/2021] - Arroba: poucas negociações no mercado
[24/09/2021] - CADE aprova compra de ações da BRF pela Marfrig
[24/09/2021] - Expansão da JBS causa preocupação na Austrália
[24/09/2021] - Leite: alta de custos não dá trégua
[24/09/2021] - Governo de SP isenta gado PO de ICMS
[24/09/2021] - Reino Unido quer acordo de importação com o Brasil
[24/09/2021] - Tereza Cristina está com Covid-19
[24/09/2021] - Governo reabre prazo de parcelamento para Funrural
[24/09/2021] - Aftosa: dez estados deixarão de vacinar em 2023
[23/09/2021] - Frigoríficos vão exportar carne para outros países
[23/09/2021] - Embargo chinês continua sem justificativa técnica
[23/09/2021] - Arroba: mercado lento, mas estável
[23/09/2021] - CEPEA: indicador do boi caiu 4,5%
[23/09/2021] - Milho: como estão os preços no mercado futuro?
[23/09/2021] - Bolsonaro zera PIS/COFINS sobre o milho
[23/09/2021] - Quando volta a chover no Centro-Oeste?
[22/09/2021] - Arroba: frigoríficos travam abates
[22/09/2021] - Arroba: boi segue com preços estáveis em SP
[22/09/2021] - Milho: impasse continua no mercado
[22/09/2021] - Leite sobe mas custos ainda pressionam produtor
[22/09/2021] - Brasil pode expandir pecuária sem desmatar
[21/09/2021] - Exportações do Agro batem US$ 10 bi em agosto
[21/09/2021] - Como realmente estão as exportações de carne?
[21/09/2021] - Arroba: mercado devagar, mas cotações estão firmes
[21/09/2021] - Em Mato Grosso, pecuaristas aguardam desfecho
[21/09/2021] - Como estão as negociações de boi em Goiás?
[20/09/2021] - Reino Unido confirma vaca louca e não sofre sanção
[20/09/2021] - Arroba: boi já parou de cair
[20/09/2021] - Arroba: situação complicada para o pecuarista
[20/09/2021] - Mercado espera definição da China, talvez hoje
[20/09/2021] - Milho: mercado travado
[20/09/2021] - Polícia recupera 336 bois furtados em SP
[17/09/2021] - O que os frigoríficos pretendem fazer agora?
[17/09/2021] - Rússia restringe compras de MG e MT
[17/09/2021] - Arroba: frigoríficos derrubam as cotações em SP
[17/09/2021] - Carne estocada pode ir para o mercado interno
[17/09/2021] - Empregos: Agro já recuperou o nível pré-pandemia
[17/09/2021] - Agro será o setor mais beneficiado com o 5G
[16/09/2021] - Arábia Saudita retira embargo ao Brasil
[16/09/2021] - CEPEA: embargo chinês deve ser revertido logo
[16/09/2021] - Boi caiu, mas preço da carne continua o mesmo
[16/09/2021] - Arroba: incerteza ainda trava negociações
[16/09/2021] - Pedido de vistas interrompe julgamento no STF
[16/09/2021] - MST abraça capitalismo e capta dinheiro no mercado

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br