Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
266,00 254,00 269,00
GO MT RJ
261,00 255,00 267,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2380,00
Garrote 18m 2850,00
Boi Magro 30m 3460,00
Bezerra 12m 2100,00
Novilha 18m 2530,00
Vaca Boiadeira 2760,00

Atualizado em: 3/12/2020 16:59

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Governo zera imposto de importação do milho

 
 
 
Publicado em 19/10/2020

Dois dos principais grãos da agricultura nacional – soja e milho – terão a alíquota do imposto de importação zerada a fim de manter o equilíbrio na oferta desses produtos no mercado doméstico. A decisão foi tomada pelo Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) na última sexta-feira (16), durante reunião extraordinária, a partir de propostas apresentadas pelos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (sobre a soja) e da Economia (sobre o milho).

A suspensão temporária do imposto de importação para soja (grão, farelo e óleo de soja) valerá até 15 de janeiro de 2021. Já em relação ao milho, as importações brasileiras sem pagamento de imposto irão até 31 de março de 2021. O estabelecimento dessas datas visa não comprometer a comercialização da próxima safra, que tem a colheita prevista para início do próximo ano.

O aumento pela demanda mundial de alimentos, ocasionado pela ocorrência da pandemia da Covid-19, gerou reflexos semelhantes, mas com motivações diferenciadas, nos mercados relativos a essas duas commodities. No caso do milho, houve um aumento no consumo interno para abastecer a produção de proteína animal, que registrou crescimento nas exportações. Movimento que já vem sendo registrado nas últimas duas décadas, a uma taxa de 14,3% ao ano.

No caso da soja e derivados, como farelo e óleo, também houve aumento nas vendas externas que ganharam impulso com a valorização do dólar.

“Em virtude desses fatores, foi conveniente buscar uma medida preventiva, de maneira a equalizar as condições de importação de terceiros países com o Mercosul, fortalecendo o abastecimento do mercado doméstico”, afirma o diretor de Comercialização e Abastecimento, Sílvio Farnese.

É importante ressaltar, segundo o diretor do Mapa, que não há expectativa de falta dos produtos. O objetivo é promover um ajuste entre a oferta e demanda desses produtos no período anterior à colheita da safra 2020/2021, que ocorre a partir do início do próximo ano.

Cenário

Neste ano, o Brasil está colhendo safra recorde de soja, estimada em 124,8 milhões de toneladas, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No entanto, a desvalorização do real provocou elevação no preço do produto, gerando atratividade para as exportações, aliado ao aumento de demanda externa, notadamente pela China.

O milho deverá registrar uma colheita de 102,5 milhões de toneladas, expansão de 2,5% em relação à safra anterior. O fator cambial também tem contribuído para facilitar as vendas externas, que somaram entre janeiro e setembro 20,5 milhões de toneladas e deverão fechar no patamar superior a 34,5 milhões de toneladas.

No último dia 9 de setembro, a Camex zerou a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado até 31 de dezembro deste ano, atendendo uma solicitação do Mapa. Neste caso, a redução temporária está restrita à cota de 400 mil toneladas. Até o início do mês, o Brasil já havia negociado 225 mil toneladas de arroz dos Estados Unidos, Índia e Guiana, que deverão entrar no país até novembro.

No caso do milho e da soja, não houve definição de cota de importação.

Gecex

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) é o núcleo executivo colegiado da Camex, responsável por definir alíquotas dos impostos de importação e exportação, fixar medidas de defesa comercial, internalizar regras de origem de acordos comerciais, entre outras atribuições. Com informações do MAPA.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[03/12/2020] - Arroba: qual a estratégia dos frigoríficos?
[03/12/2020] - Agrifatto: pico da arroba pode ter passado
[03/12/2020] - CEPEA: oferta curta e preços em baixa para o boi?
[03/12/2020] - Abates precoces disparam em Mato Grosso
[03/12/2020] - Queda do PIB do Agro no trimestre não é relevante
[03/12/2020] - Dólar cai com força ao menor valor em 4 meses
[03/12/2020] - Milho volta a cair no mercado brasileiro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[03/12/2020] - Aftosa: vacinação é prorrogada em 13 estados
[03/12/2020] - Produtor rural de SP vai pagar muito mais imposto
[02/12/2020] - Preço da carne exportada volta a cair em novembro
[02/12/2020] - Arroba: mercado do boi devagar
[02/12/2020] - Pecuaristas sofrerão pressão de custos em 2021
[02/12/2020] - Marfrig: trabalhadores protestam e param produção
[02/12/2020] - Pecuaristas vão à Justiça contra frigoríficos
[02/12/2020] - Leite: preços devem cair e pressionar produtor
[02/12/2020] - Bancada do Agro tem novo presidente
[02/12/2020] - Aglomeração de cavalos é proibida no Tocantins
[02/12/2020] - Milho cai com recuo do dólar
[02/12/2020] - Indústria já cresce acima do nível pré-pandemia
[02/12/2020] - Reino Unido aprova vacina contra Covid-19
[01/12/2020] - CNA prevê PIB do agro 3% maior em 2021
[01/12/2020] - Carne: mercado espera vendas aquecidas neste mês
[01/12/2020] - Arroba: não está sobrando boi
[01/12/2020] - Como ficará o mercado do leite neste fim de ano?
[01/12/2020] - Agrishow muda data do evento em 2021
[01/12/2020] - Produtores rurais terão aumento de custo no Paraná
[30/11/2020] - Arroba: frigoríficos continuam forçando a baixa
[30/11/2020] - Leite: imposto maior vai levar pecuarista ao preju
[30/11/2020] - Milho: preços caem e travam negociações
[30/11/2020] - Ladrões de gado são mortos pela PM
[30/11/2020] - IBGE: Agro gerou mais de 300 mil empregos
[30/11/2020] - Goiás: Agro criou vagas de emprego em 2020
[30/11/2020] - Mercado melhora previsões sobre o Brasil em 2021
[27/11/2020] - Arroba: queda de R$ 5 de um dia para o outro?
[27/11/2020] - Safras: frigoríficos seguem pressionando o boi
[27/11/2020] - Restaurantes mudam foco para cortes mais baratos
[27/11/2020] - Sêmen sexado ainda é pouco usado em gado de corte
[27/11/2020] - Agro puxou alta de 3,2% no IGP-M?
[27/11/2020] - Desemprego ainda está acima de 14%
[27/11/2020] - Indústria pede urgência no acordo UE-Mercosul
[27/11/2020] - Frigoríficos vivem dias de caos na Alemanha
[26/11/2020] - Exportações podem crescer 5,5% em 2021
[26/11/2020] - Arroba: frigoríficos seguem tentando baixar o boi
[26/11/2020] - Boi está em falta. Tem como cair mais?
[26/11/2020] - Milho: preço caiu lá fora, mas não no Brasil
[26/11/2020] - Setor de máquinas tem o melhor desempenho do ano
[26/11/2020] - Sementes misteriosas contêm pragas, segundo o MAPA
[26/11/2020] - FPA: nova lei de falências é vitória para o Agro
[26/11/2020] - Brasil supera projeção e abre quase 400 mil vagas
[25/11/2020] - Qual a perspectiva para o boi em 2021?
[25/11/2020] - Arroba: pecuarista continua recusando oferta menor
[25/11/2020] - Alta na arroba não alivia situação do pecuarista
[25/11/2020] - Frigoríficos exportadores sob pressão
[25/11/2020] - Milho: preços futuros em queda
[25/11/2020] - Leite: preço subiu menos que o custo no RS
[25/11/2020] - Frigoríficos gaúchos cobram taxa do século passado
[25/11/2020] - IPEA prevê crescimento menor do Agro

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br