Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
264,00 254,00 256,00
GO MT RJ
247,00 247,00 249,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2330,00
Garrote 18m 2810,00
Boi Magro 30m 3350,00
Bezerra 12m 2010,00
Novilha 18m 2490,00
Vaca Boiadeira 2670,00

Atualizado em: 26/10/2020 09:17

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Governo crê em lobby contra acordo UE-Mercosul

 
 
 
Publicado em 21/09/2020

O governo brasileiro reagiu à manifestação contrária da França ao acordo entre Mercosul e União Europeia (UE), nesta sexta-feira, afirmando que não é verdade que o tratado de livre comércio vai estimular a venda de produtos ligados à destruição do meio ambiente.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o discurso ambiental e sanitário tem sido utilizado como argumento por "lobbies agrícolas europeus", para dificultar as negociações entre os dois blocos econômicos.

"Ao longo das negociações, o acordo Mercosul-UE sofreu fortes resistências de lobbies agrícolas europeus, que frequentemente se utilizaram do discurso ambiental ou sanitário para tentar inviabilizar o instrumento. O governo brasileiro está pronto a apresentar dados factuais que demonstram seu firme compromisso com a sustentabilidade ambiental, o combate à mudança climática e elevados padrões trabalhistas", destacou o Itamaraty.

Em resposta ao Globo, o órgão informou que ainda não teve acesso ao relatório encomendado pelo governo francês. Porém, adiantou não haver embasamento técnico para a afirmação de que o acordo aumentaria o comércio, a produção e o consumo de carne, grãos, biocombustíveis e outros produtos ligados à destruição do bioma amazônico.

"Tampouco se sustenta a afirmação de que o custo ambiental do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia (UE) supera seus benefícios econômicos".

Mais eficiência, defende Itamaraty

Conforme o Itamaraty, em termos de impacto ambiental, enquanto a produtividade brasileira na criação de gado aumentou 169% de 1990 a 2019, a área de pastagem caiu 15,5% no mesmo período.

As importações europeias das principais commodities brasileiras, como soja e café em grão, já são livres de tarifas, razão pela qual o acordo não terá qualquer impacto na alteração do uso da terra no Brasil.

Usando dados da própria Comissão Europeia, o governo brasileiro destacou que as quotas ofertadas ao Mercosul representam apenas 1,2% do consumo comunitário anual no caso das carnes bovina (99 mil toneladas) e de aves (180 mil t); 1% no caso do açúcar (180 mil t da quota da Organização Mundial do Comércio) e 1% no caso do etanol (650 mil t). A título ilustrativo, a quota de carne bovina tem valor pouco significativo em relação à produção anual de carne no Brasil, que alcançou 10,1 milhões de toneladas em 2019.

"O Brasil defende uma agenda modernizadora que busca conciliar aumento de competitividade e produtividade com padrões elevados de sustentabilidade ambiental", ressaltou o Ministério das Relações Exteriores.

Em nota, o Ministério da Economia destacou que reconhece as "legítimas preocupações" de que o comércio não deve ser feito em detrimento do meio ambiente, mas, ao contrário, é uma ferramenta de promoção do desenvolvimento sustentável.

O órgão acrescentou esperar que essas preocupações sejam dissociadas de "eventuais interesses políticos ou comerciais de setores contrários à integração comercial". O órgão reforçou o argumento de que o acordo conta com um capítulo específico sobre comércio e desenvolvimento sustentável.

"Por essas razões, o Ministério da Economia avalia que a melhor forma de endereçar preocupações ambientais na esfera do relacionamento com países europeus é por meio da própria implementação do acordo Mercosul-UE". Com informações do jornal O Globo.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[26/10/2020] - Arroba: qual a expectativa para a semana?
[26/10/2020] - Carne: alta no atacado continua
[26/10/2020] - China retira embargo de unidade da Marfrig
[26/10/2020] - Carne: importações chinesas subiram 63%
[26/10/2020] - Leite: alta está acima da média em 2020
[26/10/2020] - CEPEA: disparada do milho segue forte
[26/10/2020] - JBS Friboi inaugura três confinamentos próprios
[26/10/2020] - UE permite que produtos vegetais se chamem carne
[26/10/2020] - Marfrig é sócia em empresa de carne vegetal
[26/10/2020] - Bandidos levam terror a produtores rurais do PR

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/10/2020] - Arroba: frigoríficos sobem ofertas e não acham boi
[23/10/2020] - Consultor acredita que confinamento caiu 25%
[23/10/2020] - Acionista da JBS pede que Batistas a indenizem
[23/10/2020] - Confiança do consumidor caiu em outubro
[23/10/2020] - Aftosa: Mato Grosso deve adiar retirada da vacina
[22/10/2020] - Mercado já projeta arroba acima de R$ 290
[22/10/2020] - Arroba do boi: alta vai parar nos R$ 270?
[22/10/2020] - Alta do boi alivia custos que não param de subir
[22/10/2020] - China pede correções em frigoríficos embargados
[22/10/2020] - Disparada do milho não dá sinal de trégua
[22/10/2020] - Feiras do Pró-Genética chegarão a São Paulo
[21/10/2020] - Arroba: alta do boi continua
[21/10/2020] - Arroba dispara na Bolsa e passa de R$ 280
[21/10/2020] - Exportações seguem fortes
[21/10/2020] - JBS vai emitir dívida para comprar bois
[21/10/2020] - Leite: possível queda de preço preocupa o produtor
[21/10/2020] - Milho: preços dispararam hoje na Bolsa
[21/10/2020] - Milho: preços em alta em Goiás
[21/10/2020] - Milho: retirada de imposto não deve reduzir preços
[21/10/2020] - Exportação de milho deve superar expectativas
[21/10/2020] - Sementes misteriosas: já são 525 casos
[20/10/2020] - Brasil registra primeiro caso de Covid em animais
[20/10/2020] - Guerra JBS x BNDES entra em fase decisiva
[20/10/2020] - Exportações podem crescer 8% em outubro
[20/10/2020] - Arroba: começo de semana estável
[20/10/2020] - Como está a demanda chinesa pelo boi?
[20/10/2020] - MT tem a maior área plantada de milho desde 2014
[20/10/2020] - Estoques de milho continuarão curtos em MT
[20/10/2020] - Alta do IGP-M perde força
[20/10/2020] - EUA e Brasil dão passo para acordo comercial
[20/10/2020] - EUA e Brasil podem dobrar comércio em 5 anos
[19/10/2020] - Arroba: frigoríficos vão em busca de vacas
[19/10/2020] - Mercado futuro segue prevendo arroba a R$ 280
[19/10/2020] - Carne sem osso subiu em SP
[19/10/2020] - JBS diz que parcelou incentivo irregular de MS
[19/10/2020] - Governo zera imposto de importação do milho
[19/10/2020] - Importação de milho pode reduzir custo do leite
[19/10/2020] - Milho dispara e passa de R$ 70 a saca
[19/10/2020] - Brasil e EUA iniciam hoje acordo comercial
[19/10/2020] - Bolsonaro defende acordo comercial com os EUA
[16/10/2020] - Arroba: boi segue rumo aos R$ 270
[16/10/2020] - Medida do governo pode derrubar arroba do boi
[16/10/2020] - Exportações de carne têm reação em outubro
[16/10/2020] - Boi: rebanho cresceu pela primeira vez em 3 anos
[16/10/2020] - Leite: produção é a segunda maior desde 1974
[16/10/2020] - Preço do milho dispara na bolsa
[16/10/2020] - JBS: Brasil produz mais carne com menos terra
[16/10/2020] - JBS: operação mira grupo de Cid Gomes
[16/10/2020] - MAPA amplia rede de adidos agrícolas
[16/10/2020] - Mudanças fazem ITR disparar em algumas cidades

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br