Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
190,00 173,00 188,00
GO MT RJ
179,00 171,00 179,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1790,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2610,00
Bezerra 12m 1320,00
Novilha 18m 1610,00
Vaca Boiadeira 1860,00

Atualizado em: 26/5/2020 11:27

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Mercado futuro do boi gordo vai mudar

 
 
 
Publicado em 14/08/2019

No maior exportador de carne bovina do planeta, o mercado futuro de boi gordo está em apuros. Desde a crise de 2008, os negócios não param de encolher, desagradando a pecuaristas, corretoras, fundos de investimentos e consultores. O mercado futuro, que já chegou a movimentar quase R$ 50 bilhões por ano no auge, diminuiu para menos de R$ 15 bilhões, afastando investidores devido à liquidez cada vez menor.

"Desse jeito, o mercado está fadado a acabar", diz o executivo de um dos maiores frigoríficos do país. Nos últimos meses, porém, um grupo de pecuaristas e investidores passou a pressionar a B3 por mudanças.

A bolsa paulista é vista pelos críticos como uma das responsáveis pela pasmaceira. A forma como o preço do gado é calculado é o principal problema, e pecuaristas reclamam da demora da bolsa em implementar as mudanças no indicador de preço que baliza os contratos futuros de boi gordo.

Se nada mudar, criticam representantes desse grupo, o setor pode perder uma oportunidade para resgatar o mercado futuro de boi. A avaliação é que, dada a disrupção na oferta global de carne provocada pela peste suína africana na China, um número maior de fundos estaria propenso a montar posições no mercado futuro e, assim, aumentar a exposição à pecuária.

O ambiente brasileiro também seria favorável para o investimento em ativos de maior risco, como é o caso dos contratos de boi gordo, devido à queda da taxa de juros. Por fim, o aparecimento de fintechs que apostam em pecuária também indica o potencial de resgate do mercado futuro do boi gordo, de acordo com uma fonte que participa das discussões com a bolsa.

"Há um total desinteresse da B3. Para eles, é uma coisa pequena, que dá trabalho", critica o pecuarista Pedro de Camargo Neto, vice-presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB). Segundo ele, a bolsa está discutindo mudanças no indicador de preços e a tendência é que as alterações sejam positivas. Mas a demora o inquieta.

Nas redes sociais, o tom das críticas à B3 nem sempre é amistoso. No Twitter, um conhecido participante dos fóruns de debate sobre a pecuária disse, não sem ironia, que o indicador de preços finalmente foi padronizado. "Consegue errar todos os dias", afirma.

Ao Valor, o consultor Gustavo Figueiredo, da AgroAgility, diz que a metodologia utilizada para captar os preços do animal abre espaço para distorções de preços às vezes superior a R$ 5 por arroba - ontem, o indicador Esalq/B3 estava em R$ 154,20 por arroba. "Há uma percepção generalizada de que o indicador não tem refletido de forma fiel a realidade de preços do mercado físico", concordou o sócio-diretor da Radar Investimentos e agente autônomo vinculado à corretora Nécton, Leandro Bovo.

Sob a responsabilidade do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que é ligado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), o indicador Esalq/B3 para as cotações do boi gordo no mercado de São Paulo não pondera os preços - recebidos de frigoríficos e pecuaristas - pelo volume de gado.

Na prática, um lote de 50 cabeças de gado pode influenciar mais o indicador do que um lote de 100 animais caso o contribuinte (um abatedouro, por exemplo) tenha mais peso no indicador, criticou Figueiredo.

Essa possibilidade abre espaço para que alguns frigoríficos forneçam ao Cepea apenas os negócios que os interessem, pressionando as cotações. Em uma indústria mais concentrada, isso passa a ser um risco maior. Para os pecuaristas, a falta de confiança no indicador não limita apenas os negócio no mercado futuro, mas aumenta o risco das vendas de contratos de médio prazo feito com os frigoríficos, muitas vezes atrelado aos preços do Cepea.

Ao longo dos últimos anos, o número de negócios de boi captados pelo Cepea para formar o indicador caiu drasticamente. Levantamento feito para fomentar as discussões com a B3 mostrou que, entre 2010 e 2015, as amostras tinham, em média, 50 observações diárias. Em 2018, caiu para 20 observações.

Procurado, o Cepea informou que a redução das observações faz parte do processo de controle das informações prestadas. "Para reverter essa tendência, seria necessário que os agentes que julguem importante a existência do indicador se empenhassem em relatar e documentar seus negócios", sustentou o Cepea. Em nota, o centro de estudos informou que discorda das avaliações de que o indicador se tornou obsoleto.

Ao Valor, o diretor de produtos de balcão, commodities e novos negócios da B3, Fabio Zenaro, reconhece que a falta de liquidez do mercado futuro de boi gordo é um problema. Em julho, havia 20,3 mil contratos em aberto de boi gordo na B3. Trata-se de um número maior do que os 11,3 mil registrados no mesmo período do ano passado, mas bastante inferior aos 67 mil de julho de 2008. O movimento financeiro, no entanto, caiu 19% nos últimos doze meses, de R$ 1 bilhão para apenas R$ 809 milhões.

De acordo com Zenaro, a bolsa vem atuando para corrigir a metodologia. Ele afirma entender a ansiedade dos pecuaristas, mas ressaltou que uma mudança como essa não é feita de uma hora para outra. Para entrar em vigor, a nova metodologia precisa passar pelo crivo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

De qualquer forma, acrescenta ele, a B3 já testou a nova metodologia e, entre as mudanças, o Cepea passará a ponderar o indicador pelo volume de bois e também incluirá na amostra os frigoríficos que são inspecionados pelo Estado de São Paulo, e não apenas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF).

A intenção é que, com isso, a amostra aumente, tornando o indicador mais próximo da realidade. Questionado pela reportagem, Zenaro não quis estimar uma data exata para a entrada em vigor do novo indicador, mas afirma que ela se dará ainda no "curto prazo".

Para Bovo, da Radar Investimentos, a cautela da B3 é compreensível. "O objetivo de todos é comum. O mercado fica um pouco ressentido da velocidade da mudança não estar sendo a que todo mundo desejava, mas a gente sabe que a bolsa é extremamente conservadora em qualquer mudanças. É da natureza dela, e não é errado que seja assim", acrescenta. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[26/05/2020] - Exportações podem fechar maio com alta de 22,6%
[26/05/2020] - Tailândia abre mercado e pode começar a comprar
[26/05/2020] - PIB do Agro crescerá 1,3% no pior caso, diz Ipea
[26/05/2020] - É hora de repor o gado?
[26/05/2020] - Frigoríficos pagam até R$ 10 a mais pelo boi China
[26/05/2020] - Arroba: mercado vive calmaria
[26/05/2020] - Justiça manda Marfrig mudar processos em unidade
[26/05/2020] - Leite: pandemia preocupa muito os produtores
[26/05/2020] - Milho: preço firme
[26/05/2020] - Dólar amplia queda em relação ao real

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[25/05/2020] - Agronegócio será o único setor a crescer em 2020
[25/05/2020] - China: importações de carne bovina cresceram 28%
[25/05/2020] - Produção de carne caiu com força nos EUA
[25/05/2020] - Preço da carne continuará alto
[25/05/2020] - Atacado da carne segue firme
[25/05/2020] - Arroba: mercado prevê oferta curta na entressafra
[25/05/2020] - Marfrig: 25 funcionários afastados em Mato Grosso
[25/05/2020] - Carne contaminada transmite o coronavírus?
[25/05/2020] - Segurança em frigoríficos ficará melhor
[25/05/2020] - ACNB diz que Expoinel 2020 está mantida
[25/05/2020] - Relação de troca do boi com milho segue ruim
[25/05/2020] - Dólar tem nova queda forte
[22/05/2020] - Carne brasileira começa a chegar aos EUA
[22/05/2020] - EUA: estoques de carne caíram
[22/05/2020] - China vai aumentar a importação de carne
[22/05/2020] - PIB da Pecuária bateu R$ 600 bi em 2019
[22/05/2020] - Arroba: como ficará o boi com o fim da safra?
[22/05/2020] - Preço da carne tem leve queda no varejo
[22/05/2020] - Marfrig e Minerva registram casos de Covid-19
[22/05/2020] - Decreto deve evitar fechamento de frigoríficos
[22/05/2020] - Minerva cria fundo para apoiar o varejo
[21/05/2020] - Arroba: nem oferta maior derruba o boi
[21/05/2020] - CEPEA: preço do boi segue firme
[21/05/2020] - CNA: exportações do agro cresceram quase 6%
[21/05/2020] - Dólar cai mais de 1% após BC sinalizar intervenção
[21/05/2020] - JBS reabre unidade no RS
[21/05/2020] - Votação da regularização fundiária é adiada
[20/05/2020] - Frigoríficos aumentam as contratações em MS
[20/05/2020] - Recuperação dos frigoríficos dos EUA deve demorar
[20/05/2020] - Arroba: preços firmes para o boi
[20/05/2020] - Confinamento deve cair 16% em Mato Grosso
[20/05/2020] - Leite: alta do dólar reduz importações
[20/05/2020] - MT: comunicação de vacina pode ser feita por e-mai
[20/05/2020] - Doria promete afrouxar quarentena em junho
[19/05/2020] - Como estão as exportações de carne em maio?
[19/05/2020] - Marfrig: prejuízo com dólar apaga recorde
[19/05/2020] - Marfrig: Brasil tem clientes melhores que os EUA
[19/05/2020] - Arroba: consumo interno não empolga
[19/05/2020] - Boi: já tem frigorífico comprando para junho
[19/05/2020] - Preço do bezerro disparou em Mato Grosso
[19/05/2020] - Unidade da Marfrig tem 14 casos de Covid-19
[19/05/2020] - JBS obtém liminar para retomada de unidade no RS
[19/05/2020] - JBS vai à Justiça para reabrir unidade em SC
[19/05/2020] - Justiça condena responsáveis por leite adulterado
[19/05/2020] - Dólar tem a maior queda desde 29 de abril
[19/05/2020] - Agro responde por 80% das exportações do Paraná
[19/05/2020] - Câmara de SP aprova mega feriadão municipal
[19/05/2020] - China pode ampliar retaliação contra a Austrália
[18/05/2020] - Exportações do Agro batem recorde em abril
[18/05/2020] - Arroba: mercado movimentado na última sexta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br