Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
247,00 242,00 245,00
GO MT RJ
235,00 230,00 237,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2180,00
Garrote 18m 2430,00
Boi Magro 30m 3010,00
Bezerra 12m 1860,00
Novilha 18m 2330,00
Vaca Boiadeira 2440,00

Atualizado em: 18/9/2020 11:14

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Gases da pecuária - o outro lado da moeda

 
 
 
Publicado em 31/01/2007
por Maurício Palma Nogueira*

A FAO – órgão das Nações Unidas para questões relacionadas à agricultura e alimentação - recomendou que a pecuária bovina resolvesse o “problema” ambiental que causa. Em recente estudo divulgado com o capcioso nome de “A grande sombra da pecuária”, de autoria de Henning Steinfeld, concluiu-se que os bovinos estão entre os grandes responsáveis pelo efeito estufa.

Segundo o estudo, o maior problema da pecuária é a emissão de metano (CH4). Cerca de 35% a 40% das emissões de metano vêm da pecuária bovina. O metano é 21 vezes mais prejudicial que o gás carbônico (CO2).

As produções de metano pelos bovinos variam de acordo com a alimentação. De maneira geral, animais alimentados exclusivamente a pasto emitem mais metano (CH4) que animais suplementados com concentrados. Em média, considera-se que bovinos emitam 56 kg/ano de metano. A emissão de gás carbônico, num rebanho de composição proporcional ao brasileiro, é de cerca de 50 kg/ano. As informações são baseadas em dados do IPCC (Intergovermental Panel on Climate Change), painel inter-governamental que acompanha as mudanças climáticas no mundo.

No entanto, os resultados são apresentados de maneira parcial, contendo apenas meias verdades. A impressão que fica é que a pecuária acaba sendo proibitiva, sob pena de grandes impactos ao meio ambiente. É preciso avaliar a contrapartida desta realidade; se os bovinos, assim como todos os demais animais, emitem gases poluidores, é preciso analisar os efeitos positivos da produção de pastagens para criá-los.

A pecuária brasileira, segundo estimativas da Scot Consultoria, possui 191,3 milhões de cabeças distribuídas em 176 milhões de hectares. Em média, portanto, existe 1,08 bovino sobre cada hectare de pastagem. Sendo assim, por hectare, os bovinos brasileiros emitem 60,5 kg de metano e 54 kg de gás carbônico por ano.

Porém, as mesmas pastagens que sustentam os bovinos também seqüestram carbono. Ainda existem poucos estudos, mas há estimativas de que, nas atuais condições, as pastagens brasileiras seqüestrem cerca de uma tonelada de carbono por ano para cada hectare. Outros dados sugerem que, quando bem manejadas, as pastagens podem seqüestrar 2 toneladas de carbono por ano/hectare. São informações de pesquisadores da Embrapa e de outras instituições, em estudos divulgados recentemente.

Nestas condições, o saldo ambiental da atividade pecuária é de 860 kg/ha de carbono seqüestrado por ano. Em outras palavras, para cada quilo de carbono emitido pelos bovinos, a mesma área ocupada retém 15,3 quilos.

Extrapolando a partir da demanda de matéria seca por animal, eficiência de pastejo, porcentagem de carbono na matéria seca e quantidade de carbono que fica retida no solo, pode-se estimar, grosso modo, aumentos da ordem de 1,5 a 2,0 toneladas de carbono seqüestrados para cada unidade animal que se aumentar na lotação da área.

O próprio nitrogênio da adubação contribuiria para aumentar o seqüestro de carbono. Para que o carbono não vá para a atmosfera, é preciso haver uma relação ideal entre carbono e nitrogênio. O nitrogênio ajuda na retenção de carbono.

Portanto, a pecuária não é problema ambiental nenhum. Mas é possível reduzir ainda mais as emissões, com melhor uso de resíduos, biodigestores, aumento de nitrogênio no sistema e outras medidas que permitam maior eficiência no uso do carbono.

*Maurício Palma Nogueira é engenheiro agrônomo diretor da Scot Consultoria.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/09/2020] - Produção da Pecuária poderá bater os R$ 200 bi
[18/09/2020] - DISPARADA: bezerro já subiu quase 70%
[18/09/2020] - Arroba: mercado firme por falta de boi
[18/09/2020] - Comissão Europeia tenta aprovar acordo UE-Mercosul
[18/09/2020] - Bolsonaro: Brasil preserva e sofre ataques
[18/09/2020] - IGP-M dispara 4,5% na segunda prévia de setembro
[18/09/2020] - Produtor recebe sementes não-solicitadas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[17/09/2020] - Preço do boi tem espaço para subir ainda mais?
[17/09/2020] - Arroba: ágio do boi China está cada vez menor
[17/09/2020] - Cepea: boi segue nas máximas históricas
[17/09/2020] - Minerva pode distribuir dividendo milionário
[17/09/2020] - Tereza: produtor sabe que preservar é importante
[17/09/2020] - Mourão: pressão européia tem fundo comercial
[16/09/2020] - Frigoríficos sofrem pressão nas vendas à China
[16/09/2020] - Arroba: frigoríficos reduzem ágio pelo boi China
[16/09/2020] - Bezerro vai continuar valorizado, prevê analista
[16/09/2020] - Frigoríficos preocupados com ameaça européia
[16/09/2020] - Minerva: banco diz que negócio não é tão bom
[16/09/2020] - Minerva prevê crescimento no exterior após negócio
[16/09/2020] - Empresa da Minerva pode ir à bolsa dos EUA
[16/09/2020] - Exportações de milho seguem firmes
[16/09/2020] - FGV diz que PIB teve forte recuperação em julho
[16/09/2020] - Entidade alerta contra sementes recebidas da China
[15/09/2020] - Minerva recebe oferta para venda parte de empresa
[15/09/2020] - JBS vai resgatar dívida de 2024
[15/09/2020] - Exportações mantém ritmo forte em setembro
[15/09/2020] - Arroba: ágio para boi China chega a R$ 5
[15/09/2020] - Arroba: boi subiu no Norte e no Centro-Oeste
[15/09/2020] - Boi teve forte alta em Mato Grosso
[15/09/2020] - Leite: preço ao produtor disparou em agosto
[15/09/2020] - Leite: importação de lácteos bate recorde do ano
[15/09/2020] - Rebanho bovino de Mato Grosso cresceu em 2020
[15/09/2020] - China: suspensões por Covid serão temporárias
[15/09/2020] - China volta a usar reserva estatal de carne
[15/09/2020] - MAPA prevê recorde para a produção do Agro
[14/09/2020] - Disponibilidade de carne aumentará no Brasil?
[14/09/2020] - Arroba: frigoríficos estão pagando mais por fêmeas
[14/09/2020] - JBS é acusada de não proteger empregados nos EUA
[14/09/2020] - Milho: compradores recuam e preços perdem força
[14/09/2020] - Brasil suspende importação de carne suína alemã
[14/09/2020] - Polícia recupera gado furtado em Mato Grosso
[14/09/2020] - Indicador do PIB cresce, abaixo do esperado
[11/09/2020] - Exportações de carne bovina: alta de 12% em 2020
[11/09/2020] - Arroba: alta continua com força em todo o País
[11/09/2020] - Carne bovina segue em alta no atacado
[11/09/2020] - Fundo saudita injeta R$ 400 mi no Minerva
[11/09/2020] - Peste suína chega à Alemanha e ameaça exportações
[10/09/2020] - Abates caíram e estão no menor nível desde 2011
[10/09/2020] - Arroba: boi China já passa de R$ 250
[10/09/2020] - Indicador CEPEA renova máximas nominais
[10/09/2020] - Produtor de leite deve ter cautela
[10/09/2020] - MAPA prorroga por um ano a validade dos RGN
[10/09/2020] - Goiás autoriza a realização de eventos pecuários
[10/09/2020] - Safra de grãos deve bater recorde histórico
[10/09/2020] - Vendas no varejo têm o melhor julho desde 2000
[10/09/2020] - Forte onda de calor em todo o Brasil
[10/09/2020] - Raios: ameaça constante ao pecuarista

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br