Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
187,00 171,00 185,00
GO MT RJ
177,00 174,00 171,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1750,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2550,00
Bezerra 12m 1350,00
Novilha 18m 1600,00
Vaca Boiadeira 1840,00

Atualizado em: 29/1/2020 09:53

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Rondônia anuncia fim da vacinação contra aftosa

 
 
 
Publicado em 06/12/2019

O governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha (PSL), anunciou a suspensão da vacinação contra a febre aftosa na última quarta-feira (4). A decisão foi comunicada durante audiência pública que aconteceu na Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), junto ao presidente da Casa, Laerte Gomes, e autoridades.

Segundo Coronel Marcos Rocha, o voto pela suspensão partiu dos produtores. "Todos são favoráveis a retirada da vacinação", disse para jornalistas antes da reunião.

Por telefone, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, revelou que o Brasil precisa começar a retirar a vacinação contra a doença, reiterando o interesse de outros países do mercado asiático pela carne livre da aftosa – e da vacina.

"Há muito tempo que não tem vírus. A gente tem um circuito e isso traz vantagem para os estados. O Ministério tem acompanhado. Rondônia é um estado que avançou muito nos seus serviços", disse Tereza.

Com a suspensão, Rondônia se junta ao Paraná e a Santa Catarina como os únicos estados do país em que não há vacinação dos rebanhos bovinos contra a doença. O Brasil não registra um caso de febre aftosa desde 2006.

Em 2017, o Governo Federal publicou um plano de metas para suspender a vacinação em todos os estados até 2026. Rondônia faz parte do bloco 1, junto com Acre, e parte do Mato Grosso e Amazonas. Paraná e Santa Catarina compõem o bloco 5, o último grupo.

A última campanha de vacinação contra a doença em Rondônia aconteceu de 15 de outubro a 15 de novembro deste ano. A 47ª etapa foi voltada para bovinos e bubalinos de zero a 24 meses de idade. A comprovação da dose se estendeu até 22 de novembro.

De acordo com dados do Governo de Rondônia, o estado possui cerca de 14 milhões de bovinos e bubalinos, sendo o sexto maior rebanho nacional.

Um dos principais pontos que o governador considera positivo na suspensão da vacinação envolve a resolução de futuros problemas. Segundo ele, é mais interessante sanar focos da doença em determinado ponto do que de forma macro.

"Se hoje houvesse aqui (Rondônia), com vacinação um foco de aftosa, isso faria com que todo o estado e até o Brasil parasse com a questão das importações. Entretanto, se retirássemos a vacina aqui do estado e houver um foco de aftosa em determinado ponto então não ia parar o estado, ia parar só o foco. Com vacinação para tudo, sem vacinação para só o foco", exemplificou.

Ainda conforme o governador, sem a vacinação, há uma abertura para o mercado estrangeiro. Para o chefe do estado, "é uma questão de desenvolvimento".

"Rondônia, retirando a vacina, vamos ter mais possibilidades de comércio estrangeiro".

Segundo a Agência de Defesa Sanitário Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron), o estado não registra o foco da doença há 20 anos. Com o fim da vacinação, o trabalho de fiscalização será intensificado. "Eu vou tomar todas as ações necessárias junto a Idaron para que a gente tenha equipe necessária para manter esse controle", complementou Coronel Marcos Rocha.

Laerte Gomes, presidente da ALE-RO, entregou um ofício com 20 assinaturas de deputados que apoiam a retirada da dose em Rondônia. "Queremos um estado sem vacina. Entendemos que é uma forma de olhar para frente, desenvolver e crescer", reforçou.

Na visão de Laerte, quem mais vai ganhar é o produtor com a suspensão. "Vamos sair de uma linha 'B' e partiremos para uma linha 'A'. Novos mercados vão se abrir, novas empresas virão para Rondônia. Claro que todos terão sua responsabilidade, o governo, a Assembleia, mas principalmente o produtor. A sanidade animal é a maior patrimônio de Rondônia". Com informações do G1.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[29/01/2020] - Negócios travados no mercado do boi
[29/01/2020] - Coronavírus pode reduzir crescimento chinês
[29/01/2020] - China estima prazo para pico do coronavírus
[29/01/2020] - Renegociações com a China derrubam boi em MT
[29/01/2020] - Bezerro em alta em Mato Grosso do Sul
[29/01/2020] - Reposição subiu mais de 51% no Tocantins
[29/01/2020] - Emergências sanitárias têm novo sistema
[29/01/2020] - Frigoríficos acusam BB de calote em exportações

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[28/01/2020] - Arroba parou de cair e ensaia alta
[28/01/2020] - Carne volta a subir no varejo
[28/01/2020] - Como estão o boi e a reposição em Mato Grosso?
[28/01/2020] - Exportações de carne fecham semana com força
[28/01/2020] - JBS fecha acordo para exportar R$ 3 bi à China
[28/01/2020] - Ações de frigoríficos caem com medo do vírus
[28/01/2020] - Mortes pelo coronavírus passam de 100 na China
[27/01/2020] - Consultoria prevê retomada da alta do boi
[27/01/2020] - Arroba: pressão de baixa continua
[27/01/2020] - Reposição trava com queda da arroba do boi
[27/01/2020] - China: importações de carne cresceram mais de 90%
[27/01/2020] - Coronavírus pode enfraquecer ainda mais a China
[27/01/2020] - Marfrig cai na B3 com medo do coronavírus
[27/01/2020] - Frango já caiu 15% no atacado em janeiro
[24/01/2020] - Arroba: frigoríficos seguraram as compras
[24/01/2020] - Atacado da carne segue corrigindo preços
[24/01/2020] - Brasil tem a maior criação de empregos desde 2013
[24/01/2020] - Minerva levanta mais de R$ 1 bilhão na Bolsa
[24/01/2020] - Milho: alta de 28,3%
[24/01/2020] - Agro responde por 77% das exportações do PR
[23/01/2020] - Queda do boi não tem relação com a China
[23/01/2020] - BRF nega renegociação com a China
[23/01/2020] - Vender à China é coisa pra frigorífico grande?
[23/01/2020] - A China pode levar para onde o valor do boi?
[23/01/2020] - Arroba: mercado parado em São Paulo
[23/01/2020] - Pecuaristas protestam contra preço do boi em RO
[23/01/2020] - Frigoríficos do PR querem travar venda de bois
[23/01/2020] - Inflação desacelera com queda no preço da carne
[23/01/2020] - Milho: exportações perderam ritmo
[22/01/2020] - Frigoríficos estão mesmo tendo prejuízo na China?
[22/01/2020] - Frigoríficos perdem valor com impasse chinês
[22/01/2020] - Carne bovina cai também no Brasil
[22/01/2020] - Arroba: impasse no mercado do boi gordo
[22/01/2020] - Pecuaristas estão cautelosos na reposição
[22/01/2020] - Milho segue com preço firme
[22/01/2020] - CNI protesta contra reajuste da Tabela de Frete
[22/01/2020] - Justiça condena dez da Operação Carne Fraca
[21/01/2020] - China quer renegociar até carne já embarcada
[21/01/2020] - Exportações perderam ritmo mas seguem fortes
[21/01/2020] - Frigoríficos querem forçar baixa do boi
[21/01/2020] - Pecuaristas travam vendas com arroba menor
[21/01/2020] - Queda da carne não é generalizada
[21/01/2020] - PIB do Agro cresceu 1,15% até outubro
[20/01/2020] - Arroba: preços continuarão caindo?
[20/01/2020] - SC bate recorde na exportação de carne
[20/01/2020] - Vai faltar leite em 2020?
[20/01/2020] - Farelo de soja está mais caro
[20/01/2020] - Novos adidos agrícolas tomam posse
[20/01/2020] - Anvisa decide que abamectina continuará à venda
[20/01/2020] - MS deve criar fundo privado para sanidade

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br