Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
161,00 149,00 157,00
GO MT RJ
146,00 146,00 155,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1520,00
Garrote 18m 1840,00
Boi Magro 30m 2150,00
Bezerra 12m 1190,00
Novilha 18m 1400,00
Vaca Boiadeira 1530,00

Atualizado em: 11/10/2019 10:05

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MT: bois abatidos estão mais pesados

 
 
 
Publicado em 13/09/2019

Mais do que liderar o abate de bovinos no Brasil - e se manter como dono do maior rebanho do País - a bovinocultura mato-grossense registra importantes avanços no balanço do segundo trimestre desse ano em relação o mesmo momento do ano passado. Dados divulgados pelo IBGE, ontem, mostram que a movimentação dos animais no Estado cresceu 22% na comparação anual, no entanto, o peso das carcaças, foi mais além, aumentou 23,4%. Ambos os indicadores são os maiores registrados no País no período.

Entre os meses de abril, maio e junho desse ano, o número de cabeças abatidas em Mato Grosso somou 1,42 milhão contra 1,16 milhão em igual acumulado do ano passado, o que representa um crescimento anual de 22%. No País, o incremento foi de 3,5%.

Nessa comparação entre os segundos trimestres de 2019 ante o de 2018, o Estado abateu 257 mil cabeças a mais. No ranking nacional, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,8% do total nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,4%) e São Paulo (10,1%).

Em relação ao peso das carcaças, houve uma média de 374 mil toneladas em 2019, ante 303 mil toneladas em igual período do ano passado, o que demononstra expansão de 23,4%, acima do crescimento observado no volume de abates. Há um claro indicador, conforme os especialistas do mercado de que os bovinos mato-grossenses estão chegando ao ponto de abate cada vez mais cedo e mais pesados.

Esse ganho potencial já vem sendo registrado pelas entidades que representam o segmento pecuário no Estado. De acordo com o Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac) esse diferencial estadual reflete o empenho e os investimentos em tecnologia que vêm sendo feitos há alguns anos.

A produtividade mato-grossense de carne é 5% superior à média nacional, conforme dados já confirmados pelo próprio IBGE. O peso-médio da carcaça em Mato Grosso foi de 258,63 kg por animal e o peso-médio do país foi de 246,11 kg por animal no primeiro trimestre deste ano. Nos últimos cinco anos, comparando o peso-médio da carcaça no primeiro trimestre de 2014 com o registro de igual período em 2019, os animais abatidos no Estado registraram um ganho de 7%.

A evolução e o bom desempenho da pecuária de corte mato-grossense também podem ser comprovados com o crescimento no volume de animais abatidos e do rebanho. Ou seja, Mato Grosso está abatendo mais animais e aumentando sua produção. "Além do crescimento em número de abates e pesos de carcaças, também conseguimos reduzir a idade média dos animais abatidos, o que tem relação direta com a qualidade da carne produzida e aumento de produtividade", analisa o presidente do Imac, Guilherme Linares Nolasco.

No 2º trimestre de 2019, foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos em todo o País sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 3,5% superior à obtida no 2° trimestre de 2018, período em que foi deflagrada a paralisação dos caminhoneiros e 1,4% acima da registrada no trimestre imediatamente anterior.

O abate de 268,55 mil cabeças de bovinos a mais no 2º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, foi impulsionado por altas em 17 das 27 Unidades da Federação (UFs). Entre aquelas com participação acima de 1,0%, as variações positivas foram: Mato Grosso (+257,03 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+99,22 mil cabeças), São Paulo (+45,03 mil cabeças), Rondônia (+28,18 mil cabeças), Santa Catarina (+12,63 mil cabeças) e Bahia (+6,43 mil cabeças). Já as reduções mais intensas foram em Goiás (-73,78 mil cabeças), Rio Grande do Sul (-64,30 mil cabeças), Pará (-63,68 mil cabeças) e Maranhão (-13,97 mil cabeças). Com informações do Diário de Cuiabá.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[11/10/2019] - Foco de peste suína é registrado em Alagoas
[11/10/2019] - Novos mercados se abrem para a carne do Brasil
[11/10/2019] - Carne bate recorde de preço e puxa a arroba
[11/10/2019] - Reposição ganha força e preços sobem
[11/10/2019] - Investigação derruba ações da JBS nos EUA
[11/10/2019] - Rússia habilita cooperativa frigorífica do TO
[11/10/2019] - TO: governo e frigoríficos tentam sair de impasse

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[11/10/2019] - Exportações de milho subiram 130%
[10/10/2019] - Exportações podem bater recorde em outubro
[10/10/2019] - Arroba do boi sobe em todo o Brasil
[10/10/2019] - Exportações puxam pra cima o preço do milho
[10/10/2019] - Congresso aprova fim do prazo para o CAR
[10/10/2019] - Suspeita de mormo é confirmada no MS
[09/10/2019] - Senadores dos EUA pedem que JBS seja investigada
[09/10/2019] - CPI do BNDES pede indiciamento de Lula e Dilma
[09/10/2019] - Frigoríficos já falam em superdemanda por carne
[09/10/2019] - Arroba segue subindo com procura maior que oferta
[09/10/2019] - Carne subiu no varejo
[09/10/2019] - Brasil teve deflação em setembro
[09/10/2019] - Liminar derruba alta do ICMS no Tocantins
[09/10/2019] - Começa a faltar carne no Tocantins
[09/10/2019] - Reposição tem preço firme em Rondônia
[09/10/2019] - Brasil deve ficar de fora da guerra EUA-China
[09/10/2019] - Chuvas podem reduzir preço pago pelo leite
[09/10/2019] - Não há motivo para oposição a acordo com a UE
[09/10/2019] - Sauditas reduzem compras de fábrica da BRF
[09/10/2019] - Agência investiga suspeita de mormo no MS
[08/10/2019] - Arroba do boi começou a semana em alta
[08/10/2019] - Chuvas começam a mexer com a reposição
[08/10/2019] - Exportações começaram outubro com força
[08/10/2019] - Preço da carne exportada bate recorde histórico
[08/10/2019] - Brasil tenta retirar barreiras à carne
[08/10/2019] - EUA liberam mais frigoríficos na Argentina
[08/10/2019] - Frigorífico sai da recuperação judicial
[08/10/2019] - Analistas acreditam em alta no lucro dos frigos
[08/10/2019] - Para onde vai o preço do milho?
[08/10/2019] - Pecuária puxa contratações no Mato Grosso
[08/10/2019] - Brasil lidera crescimento em produtividade no Agro
[07/10/2019] - Preço firme para a arroba do boi
[07/10/2019] - Frigoríficos seguem fechados no Tocantins
[07/10/2019] - JBS quita dívidas com bancos públicos
[07/10/2019] - CPI adia depoimento de Wesley Batista
[07/10/2019] - Pecuaristas investem para atender à China
[07/10/2019] - Milho: vendedores recuam e preços sobem
[07/10/2019] - CNA defende MP que muda regras para crédito
[07/10/2019] - SRB defende venda de terras a estrangeiros
[07/10/2019] - Venda de máquinas agrícolas seguem fracas
[07/10/2019] - Negociações EUA-China começam na quinta
[04/10/2019] - Vendas dos supermercados cresceram 7% em agosto
[04/10/2019] - Carne bate recorde histórico de preço
[04/10/2019] - Exportações registram marca inédita
[04/10/2019] - Arroba: mercado parado no Tocantins
[04/10/2019] - Já tem frigorífico pagando R$ 167 a arroba em SP
[04/10/2019] - Minerva adia oferta de ações no Chile
[04/10/2019] - Governo facilita inspeção sanitária nos municípios
[03/10/2019] - Frigoríficos já pagam acima da referência pelo boi
[03/10/2019] - Arroba do boi bate recorde histórico nominal

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br