Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
200,00 185,00 194,00
GO MT RJ
189,00 187,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1830,00
Garrote 18m 2170,00
Boi Magro 30m 2690,00
Bezerra 12m 1370,00
Novilha 18m 1620,00
Vaca Boiadeira 1850,00

Atualizado em: 28/2/2020 09:55

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos lucraram pagando menos pelo boi

 
 
 
Publicado em 15/08/2019

A redução do prejuízo do Minerva, o resultado positivo de mais de R$ 2 bilhões da JBS e agora o lucro líquido de R$ 86,5 milhões da Marfrig no segundo trimestre, revertendo prejuízo de perto de R$ 600 milhões de um ano antes, mostram que ante um mercado interno fraco as exportações estão fazendo a diferença para os frigoríficos. Com a ajuda do câmbio e de compras de bois mais baratas no mesmo período.

Em abril, a receita cambial brasileira superou 43%, em maio foi de 11,4% acima e em junho um aumento excepcional de 93% (apesar de 10 dias de paralisação dos embarques à China), com um recorde de mais 107% em volume, tudo sobre iguais períodos de 2018. No total, mais de R$ 1,592 bilhão.

China, somando Hong Kong, deu essa sustentação, mas os dados do Secex apontam também forte elevação das compras russas, após um ano de embargo sobre as importações de carnes brasileiras.

Não foram divulgados pelo Marfrig os consolidados pela empresa nesses meses, mas seu market share nas vendas globais só está abaixo do da JBS, como se sabe no mercado.

Também não se conhece detalhes da compra de matéria-prima pelo grupo de Marcos Molina, maior acionista individual. As compras foram vantajosas olhando alguns parâmetros em uma dinâmica de mercado bastante conhecida.

Houve uma grande quantidade de animais a termo adquiridos pelas grandes indústrias e não foi diferente com o Marfrig.

Negociado antecipadamente, a preço fixado para entrega futura, o boi sempre tem preço menor que no valor cotado na entrega, mas garante para os fornecedores a compra de altos volumes. E tira as indústrias de compras no spot mais volumosas.

Boa parte desses lotes também é de animais com bonificações, como o chamado boi China (até 30 meses e máximo quatro dentes). No dia a dia, varia de R$ 2/3,00 sobre o boi comum, mas no termo certamente tem bonificação menor porque a indústria garante o volume.

Mas também ninguém sabe e os frigoríficos não falam sobre o negócio. Pouco se conhece também da quantidade de boi em confinamentos próprios da indústria, onde o valor da originação foi menor, apesar de certa valorização da reposição (compra do boi magro), do que a originação do animal acabado.

Como nem tudo que é exportado é boi comprado com prêmio e no termo, mesmo porque a oferta não cobre as necessidades de compor os lotes contratados, em termos de animais considerados comuns é possível olhar o parâmetro do Cepea/Esalq nos 2º trimestre. Naturalmente nem tudo é comprado com base nesse indicador – ou até pouco, segundo analistas, porque a referência seria a mais deprimida –, mas aqui é outro dado que o mercado desconhece.

Somente as indústrias, com alto poder de fogo sobre produtores médios e pequenos que precisaram desovar para saldar compromisso, depois de um início de safra bagunçado pelo veranico de dezembro/fevereiro.

Em abril, a média para São Paulo do Cepea, foi de R$ 157,00, mais 3% sobre março, mas no acumulado o mês teve a @ recuada em 1,34%, a R$ 154,95. Em maio, foi mais fraco: média de 152,75, caindo 2,85% contra abril, e fechou o mês somando R$ 153,15, menos 1,16%.

Junho oscilou bastante, com derretimento no começo, quando as compras pararam com o travamento das vendas à China, e alta depois, dando uma média de R$ 144,95, mas puxando o acumulado de 30 dias em R$ 156,85.

De modo geral, os dados estão dados para os trimestres futuros, este e o próximo. As exportações seguem bem, apesar de que não saíram novas plantas habilitadas à China (e a Marfrig tem unidades na lista), e a @ em alta nos últimos dias deve começar a perder força com a chegada de nova boiada a termo esperado para outubro. Com informações do Money Times.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[28/02/2020] - Exportações: somente a carne bovina tem recuo
[28/02/2020] - Molina aproveita pânico e compra ações do Marfrig
[28/02/2020] - Arroba: pecuarista segura as vendas
[28/02/2020] - Minerva segura abates com falta de boi
[28/02/2020] - CEPEA: baixa oferta segura preço do boi
[28/02/2020] - Desemprego tem queda superior às previsões

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[27/02/2020] - Frigoríficos: entregas à China estão normais
[27/02/2020] - Minerva tem 5 unidades liberadas pelos americanos
[27/02/2020] - JBS tem 11 unidades aprovadas pelos EUA
[27/02/2020] - EUA: liberação da carne brasileira vira polêmica
[27/02/2020] - OMS: epidemia chegou a um ponto decisivo
[27/02/2020] - China espera controlar epidemia no fim de abril
[27/02/2020] - Dólar dispara por pânico com coronavírus
[27/02/2020] - Como o mercado do boi voltou do Carnaval?
[27/02/2020] - Pecuarista segura o boi esperando preço melhor
[27/02/2020] - Frigoríficos de SP precisam comprar boi
[27/02/2020] - IGP-M tem deflação em fevereiro
[27/02/2020] - Dólar alto puxa o preço do farelo de soja
[27/02/2020] - Caroço de algodão mais caro em 2020
[27/02/2020] - Argentina trava exportações do agronegócio
[26/02/2020] - Reabertura dos EUA pode puxar a arroba no Brasil?
[26/02/2020] - EUA oficializam reabertura do mercado ao Brasil
[26/02/2020] - EUA prevêem produção de carne maior no Brasil
[26/02/2020] - Arroba: sem espaço para queda
[26/02/2020] - Reposição: preços em alta
[26/02/2020] - Carne: demanda segue fraca e segura preço
[26/02/2020] - Dólar alto puxa preço do farelo de soja
[26/02/2020] - Coronavírus pode afetar a economia do Brasil?
[26/02/2020] - Primeiro caso de coronavírus no Brasil
[26/02/2020] - Itália vive epidemia de coronavírus
[26/02/2020] - Itália: medidas contra o coronavírus são fortes
[26/02/2020] - OMS: transmissão do vírus na China desacelerou
[26/02/2020] - Mercados agrícolas sobem em dia de queda geral
[26/02/2020] - MAPA autoriza antecipação da vacinação no RS
[26/02/2020] - Produtores rurais argentinos marcam greve
[26/02/2020] - Macron promete brigar por subsídios a agricultores
[21/02/2020] - Arroba: frigoríficos podem aumentar ofertas
[21/02/2020] - Carne: preços firmes no atacado
[21/02/2020] - Mortes pelo coronavírus passam de 2.200 na China
[21/02/2020] - China: Vírus atrasa compras de produtos agrícolas
[21/02/2020] - Produção de carne dos EUA baterá recorde
[21/02/2020] - Marfrig pode vender ações nos EUA
[21/02/2020] - Empresa da JBS lucra 84% mais
[21/02/2020] - Dólar bate os R$ 4,40, maior valor da história
[21/02/2020] - Exportações de milho caíram
[21/02/2020] - Frete caro puxa preço do milho
[20/02/2020] - Brasil pode bater outro recorde na carne bovina
[20/02/2020] - Marfrig acredita que exportações seguirão fortes
[20/02/2020] - Minerva já vê retomada do mercado chinês
[20/02/2020] - Minerva: novos mercados estão se abrindo
[20/02/2020] - China começa a retomar a vida normal
[20/02/2020] - Arroba: mercado do boi está andando de lado
[20/02/2020] - Carne não consegue ganhar embalo no varejo
[20/02/2020] - Pecuaristas do RS querem antecipar fim da vacina
[19/02/2020] - Carnaval pode puxar a demanda pelo boi
[19/02/2020] - Pecuarista segura as vendas esperando a alta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br