Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
163,00 152,00 158,00
GO MT RJ
148,00 147,00 156,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1540,00
Garrote 18m 1850,00
Boi Magro 30m 2160,00
Bezerra 12m 1200,00
Novilha 18m 1410,00
Vaca Boiadeira 1540,00

Atualizado em: 18/10/2019 10:05

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Juros do Plano Safra serão maiores

 
 
 
Publicado em 18/06/2019

As taxas de juros controladas das linhas de crédito rural para grandes produtores vão subir de 7% para 8% ao ano no Plano Safra 2019/20, apurou o Valor. O plano, que deverá contemplar um volume total de recursos próximo ao do ciclo 2018/19 (R$ 191,1 bilhões), será anunciado amanhã pelo governo em cerimônia no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro e entrará em vigor em 1º de julho.

Na lógica do governo, os produtores de grande porte tem de ser cada vez mais estimulados a acessar fontes alternativas de crédito rural, entre elas títulos como as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Nesse sentido, o Conselho Monetário Nacional (CMN) deverá aprovar a ampliação de 35% para 50% o percentual que o bancos terão que direcionar de suas emissões de LCA para o crédito rural.

Conforme prognóstico do governo, os recursos obtidos com captação de LCA, deverão se tornar o maior “funding” para o crédito agrícola ao longo da próxima safra, acima da poupança rural e dos depósito à vista, que são as fontes tradicionais dos financiamentos ao setor e contam com juros controlados. As operações de crédito rural com LCA já cresceram 37% nos 11 primeiros meses do ciclo 2018/19 (julho do ano passado e maio último), para R$ 28,5 bilhões, enquanto os empréstimos baseados em poupança somaram R$ 43,5 bilhões, um aumento de 27%.

“E para os grandes produtores também lançaremos outras ferramentas, inclusive para a captação de recursos fora do país”, afirmou a ministra Tereza Cristina durante o programa “Roda Viva” que foi ao ar na TV Cultura na noite de ontem.

O governo deverá anunciar hoje a edição de uma medida provisória que regulamenta a emissão os títulos CRA e CDCA em moeda estrangeira. A mesma MP criará o fundo garantidor de crédito para uma linha do BNDES destinada a renegociar dívidas e instituirá o chamado “patrimônio de afetação” – que permitirá que produtores deem como garantia frações de imóveis rurais.

“O sentido disso tudo é dar ao produtor um arsenal maior de ferramentas para ele tomar crédito mais barato, sem que o governo precise entrar na negociação. A ideia é reduzir paulatinamente a dependência do crédito subsidiado e, ao mesmo tempo, dar ferramentas para ele barganhar preço no crédito livre”, afirmou Rogério Boueri, subsecretário de Política Agrícola do Ministério da Economia, ao Valor.

A alta de juros prevista para os grandes produtores segue o roteiro acertado entre os ministros Paulo Guedes, da Economia, e Tereza Cristina para todo o Plano Safra: em relação ao atual ciclo 2018/19, haverá aumento de 0,5 a 1 ponto percentual nas taxas para todos os portes de produtores – inclusive médios e pequenos, embora para esses as altas sejam menores.

Até uma linha do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que financia alimentos básicos como arroz, feijão, leite, batata-inglesa e milho deverá ter os juros aumentados de 2,5% para 3% ao ano, diz uma fonte a par do assunto. As demais linhas do Pronaf devem ser preservadas.

Ainda que já provoque reações contrárias em segmentos do agronegócio, a elevação das taxas de juros foi uma derrota que Tereza aceitou absorver para se sair vitoriosa em outra batalha não menos importante, que é garantir R$ 1 bilhão para o programa de subsídios ao seguro rural – esse orçamento previsto para a rubrica começou o ano com R$ 440,5 milhões, mas já sofreu um corte de 16% em 2019. O novo montante previsto, contudo, também poderá ser contingenciado, uma vez que as verbas não figuram como despesa obrigatória do governo. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/10/2019] - O boi vai parar de subir?
[18/10/2019] - Arroba: boi segue em alta firme
[18/10/2019] - Americanos estimam que Brasil baterá recordes
[18/10/2019] - Como está o preço do boi em Santa Catarina?
[18/10/2019] - MP investigará incentivos dados à JBS
[18/10/2019] - CPI tentará aprovar relatório sem petistas
[18/10/2019] - Preço da uréia está menor em 2019

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/10/2019] - Prioridade do Incra é a regularização de terras
[17/10/2019] - Arroba: boi sobe e frigoríficos oferecem mais
[17/10/2019] - CEPEA: boi e carne batem recordes de preço
[17/10/2019] - Preço do boi dispara também nos Estados Unidos
[17/10/2019] - Relator tira Lula e Dilma da CPI do BNDES
[17/10/2019] - Justiça absolve Temer em conversa com Joesley
[17/10/2019] - JBS prepara reestruturação
[17/10/2019] - Novo presidente do INCRA é pecuarista
[16/10/2019] - Mercado futuro já sinaliza arroba a R$ 170
[16/10/2019] - Estiagem prolongada preocupa pecuaristas no MS
[16/10/2019] - Qual a tendência para a arroba do boi?
[16/10/2019] - Reposição: oferta está curta em Goiás
[16/10/2019] - Varejo tenta puxar para cima o preço da carne
[16/10/2019] - BNDES: funcionários estariam travando venda da JBS
[16/10/2019] - Presidente da CPI do BNDES acusa Batistas e PT
[16/10/2019] - Bolsonaro tentará negociar acordo com o Japão
[16/10/2019] - O que muda com o fim da vacinação no Paraná?
[16/10/2019] - Milho está mais caro que em 2018
[16/10/2019] - Sérgio Moro atuará contra venda casada no crédito
[15/10/2019] - Exportações de carne bovina devem bater recorde
[15/10/2019] - China aumenta importação de carne bovina
[15/10/2019] - Arroba do boi volta a subir
[15/10/2019] - Arroba: diminui a diferença entre o MS e SP
[15/10/2019] - Preço da carne reage e sobe
[15/10/2019] - Alta forte da pecuária evita queda no PIB do Agro
[15/10/2019] - BNDES deve vender logo participação na JBS
[15/10/2019] - CPI do BNDES deve aprovar indiciamentos hoje
[15/10/2019] - Batista consegue liminar para não depor em CPI
[15/10/2019] - Danone muda para tentar reação nas vendas
[15/10/2019] - Captação de leite cresceu 1% no MS
[15/10/2019] - Crédito rural: contratações em alta
[15/10/2019] - RS quer parar de vacinar em 2020
[14/10/2019] - Mercado para o boi segue firme
[14/10/2019] - Atividade econômica teve pequena alta em agosto
[14/10/2019] - Minerva paralisa abates em unidades do Uruguai
[14/10/2019] - Filho de Wesley Batista depõe hoje em CPI
[14/10/2019] - Governo vai proibir vacinação no Paraná
[14/10/2019] - Foco de peste suína preocupa?
[14/10/2019] - Brasil deve ter confronto com a UE sobre carne
[14/10/2019] - Qual a previsão para o preço do milho?
[14/10/2019] - Milho: preço segue em alta
[11/10/2019] - Foco de peste suína é registrado em Alagoas
[11/10/2019] - Novos mercados se abrem para a carne do Brasil
[11/10/2019] - Carne bate recorde de preço e puxa a arroba
[11/10/2019] - Reposição ganha força e preços sobem
[11/10/2019] - Investigação derruba ações da JBS nos EUA
[11/10/2019] - Rússia habilita cooperativa frigorífica do TO
[11/10/2019] - TO: governo e frigoríficos tentam sair de impasse
[11/10/2019] - Exportações de milho subiram 130%
[10/10/2019] - Exportações podem bater recorde em outubro

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br