Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
200,00 185,00 194,00
GO MT RJ
190,00 188,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1830,00
Garrote 18m 2170,00
Boi Magro 30m 2690,00
Bezerra 12m 1370,00
Novilha 18m 1620,00
Vaca Boiadeira 1850,00

Atualizado em: 27/2/2020 10:23

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

ARTIGO - A Cadeia Quebrada

 
 
 
Publicado em 01/03/2012

Carlos Viacava

Com surpresa vi no Estadão a notícia de que três associações de frigoríficos e exportadores de carne solicitaram ao governo federal a cobrança de imposto de exportação sôbre as vendas de boi vivo ao exterior. Segundo a matéria a indústria pediu ao Ministério do Desenvolvimento a cobrança de 30% de imposto de exportação, pedido esse assinado pela UNIEC (União da Indústria e Empresas de Carne), ABRAFRIGO (Associação Brasileira dos Frigoríficos) e ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne).

Realmente é vergonhosa essa atitude e um desrespeito total a propalada ideia de integração da cadeia produtiva da carne. Um verdadeiro ato de traição aos demais elos de uma cadeia que só existe nos discursos. Note-se que esse absurdo gesto de tentativa de reserva de mercado ocorre num período em que as exportações de gado vivo estão caindo, de 654.964 cabeças em 2010 para 404.853 em 2011.

Por que não existem mais frigoríficos na Grande São Paulo? Por que o número de plantas no Estado de São Paulo está diminuindo? Por que está havendo um deslocamento dessas indústrias em direção ao norte, acompanhando o deslocamento da pecuária, acuada pela cana de açúcar e eucalipto?

A resposta é simples: chama-se custo de transporte. O transporte do boi vivo é muitas vezes mais caro que o transporte da carne. Este sim já representa um alto custo para a exportação de gado vivo, um verdadeiro imposto de exportação. Mas eles não estão satisfeitos: além das benesses dos financiamentos e aportes de capital barato pelo BNDES querem mais; querem imposto de exportação.

A cadeia quebrada ou a cadeia furada. Semana passada assisti a mais uma demonstração da incipiência da cadeia produtiva da carne. Nosso companheiro Miguel Cavalcanti do Beef Point realizou um workshop sobre a classificação de carcaça, onde ilustres professores e pesquisadores, (inclusive o mestre Pedro Eduardo de Felício), expuseram toda tecnologia aplicada nos países de indústria mais evoluída para a produção de carne de qualidade superior, procurada pelo mercado. Nesse encontro ficou patente a total dissociação do setor produtivo da pecuária com as demandas do mercado consumidor. Não existe diálogo entre os elos da cadeia. Os frigoríficos vendem melhor a carne de boa qualidade (exportam) e destinam as de menor valor para o mercado interno. Se houvesse um jogo aberto, que refletisse um interesse comum de todo setor, poderíamos caminhar mais depressa para aumentar nossa exportação e nossa produção, pagando-se mais pelo boi de boa qualidade, em proporções equivalentes às alcançadas pelos preços de venda das carnes de diferentes qualidades. O burro vai sempre atrás da cenoura, se houver cenoura.

Fazem dois anos ou mais que a arroba chegou nos R$100,00 e hoje está abaixo disso. A dificuldade do frigorífico não está aí. O que quebra frigorífico é curral vazio. O setor precisa de uma política cambial que remunere adequadamente o exportador e todo setor produtivo. Estamos assistindo a queda das exportações da carne e do gado vivo porque nossa taxa cambial está desajustada da realidade e por isso enfrentamos superávits comerciais cada vez menores.

Louve-se o protesto da CNA na palavra de Antenor Nogueira, presidente da Comissão da Pecuária de Corte, prometendo acionar o Supremo Tribunal Federal.

Vamos preservar nossa galinha dos ovos de ouro, que no caso da pecuária brasileira é o boi de capim.

Carlos Viacava é Criador de Nelore, conselheiro da ABCZ, ACNB e SIC
Ex- diretor da Cacex e secretário executivo do Concex (Conselho Interminesterial do Comércio Exterior)

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[27/02/2020] - Frigoríficos: entregas à China estão normais
[27/02/2020] - Minerva tem 5 unidades liberadas pelos americanos
[27/02/2020] - JBS tem 11 unidades aprovadas pelos EUA
[27/02/2020] - EUA: liberação da carne brasileira vira polêmica
[27/02/2020] - OMS: epidemia chegou a um ponto decisivo
[27/02/2020] - China espera controlar epidemia no fim de abril
[27/02/2020] - Dólar dispara por pânico com coronavírus

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[27/02/2020] - Como o mercado do boi voltou do Carnaval?
[27/02/2020] - Pecuarista segura o boi esperando preço melhor
[27/02/2020] - Frigoríficos de SP precisam comprar boi
[27/02/2020] - IGP-M tem deflação em fevereiro
[27/02/2020] - Dólar alto puxa o preço do farelo de soja
[27/02/2020] - Caroço de algodão mais caro em 2020
[27/02/2020] - Argentina trava exportações do agronegócio
[26/02/2020] - Reabertura dos EUA pode puxar a arroba no Brasil?
[26/02/2020] - EUA oficializam reabertura do mercado ao Brasil
[26/02/2020] - EUA prevêem produção de carne maior no Brasil
[26/02/2020] - Arroba: sem espaço para queda
[26/02/2020] - Reposição: preços em alta
[26/02/2020] - Carne: demanda segue fraca e segura preço
[26/02/2020] - Dólar alto puxa preço do farelo de soja
[26/02/2020] - Coronavírus pode afetar a economia do Brasil?
[26/02/2020] - Primeiro caso de coronavírus no Brasil
[26/02/2020] - Itália vive epidemia de coronavírus
[26/02/2020] - Itália: medidas contra o coronavírus são fortes
[26/02/2020] - OMS: transmissão do vírus na China desacelerou
[26/02/2020] - Mercados agrícolas sobem em dia de queda geral
[26/02/2020] - MAPA autoriza antecipação da vacinação no RS
[26/02/2020] - Produtores rurais argentinos marcam greve
[26/02/2020] - Macron promete brigar por subsídios a agricultores
[21/02/2020] - Arroba: frigoríficos podem aumentar ofertas
[21/02/2020] - Carne: preços firmes no atacado
[21/02/2020] - Mortes pelo coronavírus passam de 2.200 na China
[21/02/2020] - China: Vírus atrasa compras de produtos agrícolas
[21/02/2020] - Produção de carne dos EUA baterá recorde
[21/02/2020] - Marfrig pode vender ações nos EUA
[21/02/2020] - Empresa da JBS lucra 84% mais
[21/02/2020] - Dólar bate os R$ 4,40, maior valor da história
[21/02/2020] - Exportações de milho caíram
[21/02/2020] - Frete caro puxa preço do milho
[20/02/2020] - Brasil pode bater outro recorde na carne bovina
[20/02/2020] - Marfrig acredita que exportações seguirão fortes
[20/02/2020] - Minerva já vê retomada do mercado chinês
[20/02/2020] - Minerva: novos mercados estão se abrindo
[20/02/2020] - China começa a retomar a vida normal
[20/02/2020] - Arroba: mercado do boi está andando de lado
[20/02/2020] - Carne não consegue ganhar embalo no varejo
[20/02/2020] - Pecuaristas do RS querem antecipar fim da vacina
[19/02/2020] - Carnaval pode puxar a demanda pelo boi
[19/02/2020] - Pecuarista segura as vendas esperando a alta
[19/02/2020] - Um estado onde o boi subiu mais de 10%
[19/02/2020] - Reposição: preços continuam subindo
[19/02/2020] - Qual o novo patamar para a arroba do boi?
[19/02/2020] - Minerva lucra com exportações à China
[19/02/2020] - JBS faz mais um investimento bilionário nos EUA
[19/02/2020] - Câmara aprova a MP do Agro
[19/02/2020] - Caminhoneiros param para pressionar o STF

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br